LocalPrimeira Vista

Temporais surpreenderam algumas obras da Polis Ria de Aveiro

Celina Ramos de Carvalho, presidente da sociedade Polis Litoral Ria de Aveiro, admitiu hoje que algumas obras levadas a cabo nas margens da Ria não correram como esperado. “Fomos apanhados por tempestades que nunca nos passaram pela cabeça que causassem semelhante destruição”, admitiu quando questionada por problemas em empreitadas como a do cais do Carregal, em Ovar.

“O que sucedeu foi que, depois das obras feitas, fomos surpreendidos por cheias e temporais, cujas consequências não estavam nas nossas piores previsões”.

Celina Ramos de Carvalho disse que estes temporais serviram para “adquirir conhecimentos para que os projectos futuros possam ter outras capacidades”.

A responsável falava na apresentação da terceira edição da “Ria de Aveiro Weekend”, que decorrerá entre 26 e 28 de junho em vários municípios da Comunidade Intermunicipal da Ria de Aveiro (CIRA), e que vai dar visibilidade às obras de requalificação da Ria.

A campanha de marketing territorial da “Ria de Aveiro Weekend” (ver programa), que visa divulgar um conjunto de eventos ribeirinhos, de que se destaca a Regata de Moliceiros à vela entre a Torreira (Murtosa) e Aveiro, vai ser aproveitada para dar a conhecer também um conjunto de intervenções da sociedade Polis Litoral Ria de Aveiro, que no final do ano conclui a sua missão, tendo lançado a concurso, recentemente, o projecto de valorização da Barrinha de Esmoriz.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo