LocalPrimeira Vista

Transexual de Santa Maria da Feira agredido por grupo armado

Ruan Filipe, de Santa Maria da Feira (Lourosa) e com 21 anos de idade, denunciou nas redes sociais ter sido alvo de agressões xenófobas em Inglaterra, para onde se mudou há cerca de três anos. “Pensei que ia morrer ali”, partilhou, num desabafo sentido, acompanhado por uma fotografia onde são bem visíveis os golpes no rosto, feitos por um grupo de agressores armados.

O activista e fundador da Marcha LGBTI+ de Aveiro, Eduardo Couto, denunciou o caso e revelou que as autoridades locais já estão ocorrentes da situação.

“Este acontecimento ocorreu na passada sexta-feira, pelas 23h35, num local público, à saída de um parque de estacionamento. O Ruan foi agredido fisicamente com uma faca, deixando vários danos visíveis no seu rosto. O grupo de homens que o agrediu rasgaram ainda os seus boxers e tentaram levá-lo para o carro, dando a entender que iriam tentar forçá-lo a ter relações sexuais não consentidas. Um dos membros do grupo tinha uma arma consigo”, descreveu Eduardo Couto.

No Instagram, o próprio Ruan Filipe, de 21 anos, natural de Santa Maria da Feira, mais concretamente da cidade de Lourosa e que vive fora de Portugal há cerca de três anos, denunciou o caso, mostrando fotos do rosto esfaqueado e da roupa interior rasgada.

“Olá o meu nome é Ruan e estou em transição. Desde pequeno que sofre de bullying e agressões e isto não tem fim. Ontem fui o escolhido. Usaram facas e tinham uma arma… tudo porque ainda tenho voz efeminada, mas já tenho barba. Foi aí que tudo começou. Foi horrível. Pensei que ia morrer ali. Meus amigos trans e não só, vamos fazer com que isto pare. Quero agradecer todo o apoio que me têm dado. Obrigada”, lê-se na publicação do jovem.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por ruan_nunes (@ruan_filipe21)

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo