Empresas

Transtech analisa Factor Humano e Ecossistemas de Inovação com entidades da ciência e economia

O programa Transtech dedica os dias de hoje e amanhã a dois workshops híbridos que pretendem debater o Fator Humano e a Resiliência dos Ecossistemas de Inovação como aspetos decisivos para o reforço da competitividade tecnológica e empresarial da economia nacional. Em análise estarão diversos case-studies apresentados por entidades portuguesas, espanholas e da Eslovénia, numa partilha de boas-práticas ajustada ao objetivo principal do programa promovido pelos parques de ciência PortusPark e TecParques: aumentar o know-how dos setores mais estratégicos da economia das regiões Norte, Centro e Alentejo.
Nos dois últimos encontros internacionais promovidos pela IASP – International Association of Science Parks and Areas of Innovation, diversos representantes dos parques de ciência e tecnologia das redes PortusPark e TecParques analisaram o papel do fator humano na competitividade e também a resiliência dos ecossistemas de inovação. Agora, numa emissão presencial e online a partir do PCI Creative Science Park de Aveiro, esses técnicos juntam-se a outros especialistas portugueses e estrangeiros para partilhar com o tecido económico nacional os conhecimentos e boas-práticas adquiridos nas referidas conferências. Esta oportunidade de qualificação é viabilizada pelo programa Transtech, que, nos workshops “Worldwide Network of Innovation”, disponibiliza gratuitamente 16 horas de formação, brainstorming e networking a todos os empresários, cientistas, investigadores, decisores políticos e outros agentes da economia nacional empenhados em valorizar e motivar os seus recursos humanos, e as suas empresas.
As sessões dos dias 22 e 23 contarão não só com representantes de alguns dos principais parques tecnológicos portugueses – como o TagusPark, o UPTEC, o Nonagon e a Sanjotec – mas também com oradores dos seus congéneres de Espanha e da Eslovénia – como o Parque Científico y Tecnológico Cartuja, o Parque Científico UC3M, o Women Space – PCT Extremadura e o Parque Tecnológico de Liubliana.
Conscientes de que a experiência concreta das empresas é a que se revela mais inspiradora em termos práticos, os promotores do Transtech convidaram igualmente para o evento os representantes de marcas como a Vista Alegre, a Paladin, a Farfetch e até a Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro.
Outras instituições cujo input será partilhado com os participantes da iniciativa são a APTE – Asociación de Parques Científicos y Tecnológicos de España, as universidades de Aveiro e Málaga, e o centro de investigação Fraunhofer Portugal.
É tendo em conta a diversidade de experiências refletida nessa lista de oradores que Paula Grijó, presidente da TecParques, considera os workshops do Transtech como “uma oportunidade valiosa” para aprofundar conhecimentos sobre as exigências que atualmente se colocam à gestão de recursos humanos e à integração das empresas em cadeias de distribuição mundiais.
“Dados os novos desafios colocados pela transformação digital, o fator humano revela-se cada vez mais crucial para a evolução das empresas e para a afirmação de uma marca”, declara. “Quem não perceber como o espírito de uma equipa afeta a competitividade económica da organização em que essa se insere estará a negligenciar aquele que é, provavelmente, o asset mais valioso de qualquer empresa ou estrutura”. ■

Artigos relacionados

Deixe uma resposta