LocalSlider

Tudo “Azul” menos o Areínho

Actualmente, no concelho de Ovar, há apenas uma estância balnear sem Bandeira Azul. Trata-se da praia fluvial do Areínho, no Canal de Ovar da Ria. Salvador Malheiro garante que a Edilidade vareira vai até onde pode e, este ano, “compramos e colocamos areia branca e de qualidade para o Areínho”. No entanto, concorda que o aspecto da água não é o mais convidativo. “Falta a dragagem avançar”, atirando logo que se trata de uma obra que “não é da responsabilidade da Câmara Municipal de Ovar”.

Mais: O presidente ovarense defende ainda que “antes da dragagem devia pensar-se numa solução de regulação dos caudais, sob pena de tudo voltar ao mesmo”. Salvador Malheiro aponta como hipótese para uma solução reguladora, a instalação de comportas ou quebra-mares submersos, mas lembra que para uma obra destas “é preciso haver vontade política”. Entretanto, avisa, o Estudo de Impacto Ambiental da dragagem está quase a terminar.

De resto, tudo azul. Aliás, de todas as praias do distrito, a que teve a cerimónia de hasteamento da Bandeira Azul mais original foi S. Pedro de Maceda O galardão foi transportado por um helicóptero Alouette III, da Força Aérea Portuguesa (FAP), que fez descer um mergulhador sobre a praia onde já se encontrava o presidente da Câmara Municipal de Ovar, Salvador Malheiro, que a recolheu.

O autarca explicou que esta foi uma forma de assinalar a “data histórica da chegada da primeira Bandeira Azul à praia de Maceda”, mostrar que há um “clima de parceria” entre a população e a Aeródromo de Manobra local que se encontra vigilante para ajudar nos meios de salvamento.

Mais a sul do concelho, a praia do Torrão do Lameiro (conhecida por Praia dos Marretas) também celebrou a chegada da sua primeira Bandeira Azul. Mas enquanto que, em Maceda, foram construídos acessos e um apoio de praia e as enchentes não se fizeram esperar, no Torrão do Lameiro, os planos são outros. Aqui, “há uma simbiose perfeita entre pinhal e areal”, descreve Salvador Malheiro, acrescentando que “a ideia é manter o aspecto naturalista, no sentido de propiciar uma vivência de natureza e descanso”.

O presidente da Câmara Municipal de Ovar explicou que o Município faz a amostragem das águas e sua qualidade deu força ideia de acrescentar estas praias às habituais Bandeiras Azuis atribuídas ao Furadouro, Cortegaça e Esmoriz.

Salvador Malheiro içou cinco Bandeiras Azuis no concelho, mas é no Furadouro que está a sua principal preocupação. Se em Cortegaça e Esmoriz o areal estabilizou, no Furadouro, a praia regrediu muito, mais uma vez, este ano. Mesmo assim, o Edil diz que a Câmara Municipal de Ovar tem lutado contra a maré, “repondo acessos e fazendo a maior ripagem de areia de sempre, no sentido de dotar a praia com as condições mínimas essenciais”. Esta semana, o Furadouro está a ser bafejado por ventos favoráveis (de norte) e o areal cresceu mais de dois metros, assinalou o presidente: “Vamos esperar que as actuais condições do vento e das correntes marítimas continuem de feição para que haja ainda mais deposição de areia”.

A pensar nos mais pequenos que demandam as praias do concelho de Ovar, quer com as suas escolas, quer acompanhados de familiares, a Edilidade instalou um mini-parque infantil nas praias “para funcionar como complemento para as nossas crianças”, terminou o edil vareiro.

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta