CulturaSlider

“Uma mulher no topo do Mundo” pede ajuda

[themoneytizer id=”16574-1″]

Passados dois meses de ter começado a aventura, Maria estava, finalmente, a 8.848 metros de altitude, onde poucos conseguem chegar. Aproveitando uma janela de bom tempo nas gélidas montanhas dos Himalaias, partiu para a última fase da escalada. A chegada ao topo demorou 13 horas, enfrentando temperaturas a rondar os 30 graus negativos.

“Foi a coisa mais difícil que fiz em termos físicos, mas cume do mundo é ainda mais bonito do que eu alguma vez poderia ter imaginado!”, contou Maria, horas depois, à agência de notícias portuguesa Lusa.

A notícia do seu feito espalhou-se, ainda que de forma discreta, na imprensa, rádios, televisões e páginas da internet em Portugal, nos Emirados Árabes Unidos (EAU) – onde vive há quase uma década.

Maria da Conceição, que passou a infância em Avanca, tinha, finalmente, uma plataforma para expor o seu acto de bravura e, mais importante do que tudo, para explicar a causa que a movia: ajudar as crianças dos bairros de lata do Bangladesh a sair do ciclo de pobreza.

Hoje, apela a que comprem o livro onde relata essa experiência para poder pagar as despesas relativas a 7 estudantes que estão a caminho de Portugal. “Tudo o que peço é que ajudem a vender livros. Peça à sua família para comprar um, aos seus amigos, pergunte aos seus colegas de trabalho, pergunte ao seu médico, ao seu dentista ou até compre vários livros como presente”.

“Isso seria uma ajuda tremenda para os nossos estudantes irem para a universidade, para ajudar com comida, renda, livros, etc.”

Versão em inglês e português disponível.
Contacte [email protected]

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo