Covid-19

Vacinação nos centros de saúde em três fases. Prioritários definidos

Serão 1.200 os pontos de vacinação em todo o país disponíveis para administrar as vacinas contra a covid-19 aos portugueses que ficarem incluídos na primeira fase de vacinação que não estão em lares e unidades de cuidados continuados.

Os centros de saúde serão os locais onde este fármaco será disponibilizado e administrado, por marcação, explicou o coordenador da task force da vacina, Francisco Ramos, esta quinta-feira, durante a apresentação do plano de vacinação da covid-19.

Haverá um site com informação relevante sobre o processo de vacinação e uma linha telefónica de apoio à população em geral e aos profissionais de saúde.

Primeira Fase:
O primeiro conjunto de grupos prioritários são pessoas com 50 ou mais anos com uma das seguintes patologias: insuficiência cardíaca, doença coronária, insuficiência renal e doença respiratória crónica com suporte ventilatória, ou seja, a correspondência exactamente das patologias mais frequentes nos casos graves da doença.

Ainda os residentes em lares e internadas em unidades de cuidados continuados e respectivos profissionais, a protecção dos surtos nas populações mais vulneráveis, os idosos e, finalmente, profissionais de saúde directamente envolvidos na prestação de cuidados. As forças de segurança também estão incluídas neste grupo.

Segunda Fase:
A segunda fase terá dois grupos: pessoas com 65 ou mais anos sem patologias, reconhecendo que os idosos são o grupo mais vulnerável. O segundo grupo de pessoas, neste caso a partir dos 50 anos e até aos 64, com o alargamento das patologias – diabetes, neoplasia maligna activa, doença renal, insuficiência hepática, obesidade, hipertensão arterial.

Na primeira fase serão cerca de 950 mil pessoas, 250 mil residentes em lares, internados em unidades de cuidados intensivos e respectivos profissionais, 400 mil pessoas neste grupo de pessoas com comorbidades e 300 mil pessoas no conjunto de profissionais.

Para a segunda fase, a estimativa é de 1,8 milhões de pessoas com mais de 65 anos e 900 mil pessoas neste grupo com estas características

Terceira fase:
Na terceira fase vem “o resto da população”, numa estruturação depende do “ritmo de abastecimento” de vacinas. “Se, por qualquer motivo, esse ritmo for mais lento do que o cenário base, ter-se-á de voltar a criar novos grupos prioritários e definir um terceiro grupo”, explicou Francisco Ramos.

Vacinação começa em Janeiro
Num cenário optimista, a primeira vaga de vacinação ocorrerá entre Janeiro e Fevereiro. Naquele que será o cenário típico, Janeiro a Março. Se de facto as coisas correrem pior do que o que está programado em termos de entrega, Janeiro a Abril. “Aquilo que se pode dizer com segurança é que em Janeiro estaremos em condições de iniciar o processo de vacinação”, adiantou Francisco Ramos.

Não se sabe o dia concreto em que poderá ser iniciada a primeira vaga de vacinação.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta