Local

Válega: A Cantar os Reis passaram 36 anos – Por Augusto Pinho

No presente ano, a Troupe de Reis da Associação dos Antigos Alunos da Escola Oliveira Lopes comemora 36 anos de existência. Esta secção da Associação dos Antigos Alunos da Escola Oliveira Lopes exibiu-se pela primeira vez no tradicional “Cantar os Reis” de 1987, em Ovar, tendo como missão manter viva uma tradição que estava a desaparecer em Válega, e ainda levar a bom termo uma angariação de fundos para aplicar no incremento de atividades da coletividade (que nasceu a 5 de maio de 1985).

O grupo reúne anualmente, cerca de 40 elementos (entre instrumentistas e cantores), sendo a maioria do sexo masculino. Entre os meses de outubro e dezembro, os músicos ensaiam árdua e afincadamente para que o desempenho conjunto seja o melhor possível, e todos eles merecem da agremiação, louvores, carinho e um apreço notável pela forma desinteressada e empenhada como estão sempre prontos a servi-la.

As canções apresentadas, são sempre originais inéditos da autoria de compositores/poetas valeguenses e/ou vareiros, que têm contribuído para que esta secção seja um verdadeiro êxito. Ao longo dos anos, têm sido vários os autores das canções: Carlos Rodrigues, Manuel Ferreira, Zé da Vesga, Honório Resende, Lígia Martins e João Pombo.

A troupe visita, anualmente, várias residências, estabelecimentos comerciais e instituições, e atua na tradicional e grande Noite de Reis, organizada pela Câmara Municipal de Ovar. Mas no cômputo geral, as atuações da Troupe de Reis são, sobretudo, públicas.

A Troupe de Reis é uma das principais fontes de receita da Associação dos Antigos Alunos da Escola Oliveira Lopes. A esta secção se deve a existência da “Bolsa de Estudo Troupe de Reis”, pois é na angariação de fundos, que se consegue o fundo monetário, que por vontade expressa de todos os seus elementos, a torna uma realidade. A Bolsa de Estudo é concedida anualmente aos antigos alunos da Escola Oliveira Lopes, que frequentem qualquer grau de ensino, e que apresentem carências económicas e bom aproveitamento escolar.

Trata-se de uma atividade de cariz cultural e social, importante e meritória, que preserva a tradição reiseira e valoriza a freguesia de Válega.

Augusto Pinho

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo