Local

Válega perde Posto de Correios

O Celeiro de Válega deixou esta semana de prestar o serviço de correio que estava a seu cargo desde 2011, ano em que os CTT decidiram encerrar a estação de correios local.

Segundo Ricardo Borges, da gerência do Celeiro de Válega, na altura, “fomos contactados para iniciar uma parceria de prestação de serviços com os CTT criando um Posto de Correios na freguesia, assegurando todos os serviços prestados anteriormente pela estação à excepção dos financeiros (certificados de aforro e afins…)”.

A proposta passava por uma remuneração de 200 Euros, “sendo que toda a responsabilidade e gestão do posto estaria a nosso encargo”. A gerência do estabelecimento aceitou, mas passados 24 meses, “percebemos que com a muita afluência de clientes ao Posto de Correios este não seria apenas um “extra” ao trabalho da loja, como pensámos inicialmente”. “Entrámos em negociação e foi-nos proposto, além dos 200, um aumento de comissões, o que em números se reflectiu entre 350 e 400 mensais”.

Pareceu-lhes aceitável, mantendo sempre o argumento apresentado pela empresa CTT, que seria possível “aproveitar o funcionário que contratássemos para o atendimento do Posto para dar algum apoio à loja, e que, segundo eles, ainda ganharíamos com a afluência de clientes”.

No entanto, tudo isto é muito mais complexo do que parece numa primeira análise. O serviço prestado pelo Posto exigia um “funcionário com alguma formação, competência e acima de tudo responsabilidade, o que como todos sabemos não é assim tão fácil de encontrar, sendo que, quando contratado a remuneração oferecida não poderia ser a que nos ofereciam a nós, como é óbvio, 8 horas diárias num trabalho exigente não poderíamos oferecer 390, nem mesmo o salário mínimo nacional”, recorda Ricardo Borges. A tudo isto, ainda se soma “o facto de movimentarmos valores altos, devido ao pagamento de vales, e não ser possível requerer um seguro que cubra esses valores em caso de assalto”.

Em contrapartida, lembra, “ainda tivemos que gerir imensos conflitos dentro da loja, pois muitos clientes não percebiam que a responsabilidade da distribuição do correio não era, de forma alguma nossa, e reclamavam pelo serviço feito pelo carteiro…”

Assim, ao fim de 5 anos, o Celeiro de Válega percebeu que não teria nada a ganhar com a exploração do Posto de Correios na sua loja, “muito pelo contrário”. “Como empresa estamos habituados a conquistar serviços e não a abandoná-los, no entanto, há decisões que têm que ser tomadas”. “Resta-nos a certeza de que, enquanto prestámos o serviço de Posto de Correios, o fizemos com elevada qualidade e responsabilidade, ainda que tenhamos perdido dinheiro para o cumprir”.

Junta garante que é temporário

A Junta de Freguesia de Válega diz-se “apanhada de surpresa com a notícia do encerramento do Posto dos Correios”, no entanto, já foi informada pela coordenadora distrital dos CTT que “o encerramento do posto é temporário e que a freguesia de Válega não ficará sem este serviço”.

Há, no entanto, a necessidade do serviço passar a funcionar noutro local, mas a Coordenação Distrital dos CTT – Correios de Portugal comunicou à autarquia que há candidatos que querem assumir a prestação do serviço, estando a avaliar as condições dos mesmos. Mais informou que o posto dos correios deverá continuar a funcionar em lugar central da freguesia.

Para já, os valeguenses deverão dirigir-se à estação dos CTT de Ovar (junto ao cemitério) para efectuar o levantamento de encomendas, correio avisado e correspondência depositada em apartados. “Logo que possível o serviço será reposto”, afirmou a Coordenação Distrital dos CTT – Correios de Portugal.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo