CulturaSlider

Vamos receber a bênção

[themoneytizer id=”16574-1″]

Os “Get The Blessing” são de Bristol, têm sotaque britânico afinado, sopros arrojados e sonoridade alegre, patente no último “Bristopia”. A assinatura é vincada mesmo que não haja palavras que os classifique, mas todos são unânimes: são inteligentes, criativos e competentes.

E vão estar todos juntos no Centro de Arte de Ovar (CAO), cuja directora artística, Fátima Alçada, não tem dúvidas: “É um orgulho tê-los cá”.

O quarteto formou-se em 2000 e, desde então, lançou cinco álbuns, o último em 2015, dedicado a Ornette Coleman, saxofonista que é uma inspiração para a banda. Em palco, garantem a festa, talvez seja por isso e pelo seu carácter musical único que têm vindo a construir uma base de fãs irrepreensível.

Apesar das várias pausas que têm feito para outros projetos – sendo a mais recente, em 2016, quando o baterista, Clive Dreamer, andou em digressão com os Radiohead -, os “Get The Blessing” ostentam um verdadeira culto a nível internacional.

Com um som único e característico que desafia uma classificação fácil, a banda nunca perdeu a sua melodia, as batidas monstruosamente contagiosas ou a alegre espontaneidade colectiva, que traz esta quarta-feira ao CAO, a partir das 22 horas.

Após 17 anos, os “Get The Blessing” ainda conseguem manter o alinhamento original: Clive Deamer e Jim Barr, no baixo, que integram também os Portishead como músicos de sessão, juntam-se a Jake McMurchie, no saxofone e electrónica, e Pete Judge, no trompete e eclectrónica.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta