PolíticaSlider

Vereadores do PS perguntam pelo pagamento do cordão sanitário

Os vereadores eleitos pelo PS alertaram o executivo para a persistência de dificuldades nos pagamentos por parte da Segurança Social do isolamento profiláctico durante o cerco sanitário em Ovar.

O assunto foi abordado durante a última reunião do executivo camarário, conforme informação habitual dos eleitos socialistas, Artur Duarte e Fátima Bento.

“Há empresas que estão a ser confrontar-se com a informação da Segurança Social de que o pagamento do isolamento profilático no âmbito do segundo cerco sanitário não irá ser efetuado aos seus colaboradores residentes em Ovar, porque as empresas estão sediadas no concelho. Ora, isto parece-nos contraprocedente, face ao que foi transmitido e às consequências que também daí vão advir”, alertou a vereadora Fátima Bento.

A eleita socialista quis saber se o executivo tem conhecimento da situação. “Mesmo não estando no âmbito das suas competências, que diligências pensa tomar, para ‘defender’ os seus munícipes que se encontram nesta situação?”

Na resposta, o presidente da Câmara referiu que “o fórum para onde este assunto tem de ser encaminhado não é a Câmara de Ovar, mas sim a Segurança Social e o Ministério do Trabalho”. No entanto, Salvador Malheiro explicou que relativamente ao período entre 17 de março e e 17 de abril, a Segurança Social tem de pagar esses valores na integra.” E pedir aos vereadores eleitos nas listas do PS para exercerem influência no sentido de resolver a situação.

“Nunca nos escudámos em não colaborar em medidas que entendemos ser justas, como é este o caso, mas a Câmara como entidade interessada e com poder institucional tem de cumprir o seu papel de forma a que este problema seja resolvido com a celeridade que se impõe”, esclarece o PS.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta