CulturaSlider

Vikings atacaram na costa vareira no Séc.X d.C.

O advogado e historiador de Pardilhó, Marco Pereira, deu hoje a conhecer um documento do Mosteiro de São Pedro de Pedroso, que encontrou na Arquivo Nacional da Torre do Tombo, que atesta a presença de vikings na costa vareira no ano de 995.

“Os piratas normandos ou vikings aportaram por alturas de Ovar e raptaram Meitili e sua filha Guntina”, assegura Marco Pereira.

Segundo o investigador, os dois “salvaram-se porque Octício pagou um resgate: um manto de pele de lobo, uma espada, uma camisa, três lenços, uma vaca e três moios de sal, o que tudo importava 70 módios”.

Em reconhecimento e compensação por este acto, explica Marco Pereira, “Meitili doou a Octício uma parte das suas propriedades em Cabanões e Muradões, que havia herdado dos seus antepassados”.

Assim, ficou assente, para memória futura, em 28 de Abril de 1026, numa carta na qual se depreende que pai e filha viviam no território que poderá corresponder hoje ao lugar do Sobral, junto ao rio Ovar.

“Este documento tem quase 1000 anos e é um dos mais velhos pergaminhos do velho mosteiro de Pedroso”, actualmente mais conhecido por Igreja Matriz de Pedroso (freguesia do concelho de Gaia), pertencente à Ordem de S. Bento, fundado em 867.

À vista deste antecedente, Marco Pereira brinca e avisa: “Se forem a banhos à praia do Furadouro recomendo algum cuidado e olho no mar, não vá andar algum barco pirata na costa. Se não mouro, que também os houve mais tarde, algum viking, do género do famoso Ragnar Lodbrok, da série de televisão (com um fundo histórico real), que ande a raptar pessoas para delas obter resgate, igual ou ainda mais valioso que o acima descrito”.

 

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo