Covid-19

Arada: Ex-presidente António Jorge orgulha-se do património que deixou

O antigo presidente da extinta Junta de Freguesia de Arada, António Jorge, garante que, na passagem do testemunho, deu acesso às contas bancárias da autarquia, tendo enviado o “extrato de movimentos bancários ao Tribunal de Contas, como manda a lei, e como fizemos porque somos sérios e cumpridores da legalidade, o executivo da união de freguesias teve conhecimento/acesso às contas”.

António Jorge diz que fez obra e, “como é normal, pois o ano económico entrou naquela data, no último trimestre, existem alguns débitos, mas também existem muitos créditos a cobrar, nomeadamente de pagamento de rendas das lojas do mercado e sepulturas, em atraso”.

O mandato anterior garante que fez um investimento do qual este executivo só terá proveitos e que rondarão, a preços actuais, os 400.000 euros. António Jorge refere que a “responsabilidade com fornecedores andará à volta de 47.000 euros, pelo que o saldo será negativo na ordem dos 11.000 euros”. No entanto, assegura que Arada gera receitas fixas em alugueres e outros serviços ma ordem dos 4.200 euros por mês, com contar com a venda jazigos ou sepulturas das quais, acusa, “este executivo já usufruiu”.

O autarca orgulha-se do património que deixa à União das Freguesias, na qual destaca o parque desportivo de Arada, estaleiro da Junta de freguesia de Arada, cemitério, capela mortuária, carrinha de transporte escolar, tractor, capinadeira, cisterna de vazamento de fossas, depósito de aplicação de herbicida, roçadouras, máquina de cortar sebes, máquina de cortar relva, equipamento de escritório e computadores, são o mais significativo.

“O terreno onde está implantado o pavilhão gimnodesportivo de Arada foi cedido definitiva e gratuitamente à Câmara Municipal pela Junta de Freguesia a que presidi para garantir o maior investimento alguma vez feito num equipamento em Arada”, explica António Jorge, acrescentando que o terreno onde está implantado o Centro Cívico de Arada também foi cedido mas durante 50 anos gratuitamente à Câmara.

Para terminar, confessa que trabalhou e deu “muito de mim e de nós a Arada e à sua população, a obra está aí e pode ser comparada com outras freguesias”. Depois, sublinha “o respeito para com a população foi e é recíproco e tudo isto está bem espelhado nos resultados eleitorais que sempre obtivemos. A população de Arada merece muito respeito e exige que se fale verdade”.

Contactada pelo nosso jornal, a União das Freguesias não quis comentar o teor do comunicado do antigo autarca aradense, e remeteu outros esclarecimentos para as assembleias de freguesia em que o tema "deverá vir a ser abordado e cabalmente esclarecido".

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta