LocalSlider

Base de Maceda no centro de exercício de busca e salvamento

O Aérodromo de Manobra N.º 1, situado em Maceda, Ovar, acolheu mais uma edição do exercício de busca e salvamento, em ambiente terrestre, Morsa Sater 19.

Este exercício, coordenado pelo Centro de Busca e Salvamento de Lisboa, coadjuvado pelo Centro de Busca e Salvamento de Madrid, tem como objectivo testar, reajustar e consolidar procedimentos no âmbito do Serviço de Busca e Salvamento entre Estados adjacentes, no caso, Portugal e Espanha.

O cenário do exercício simula a queda de duas aeronaves de combate a incêndios, numa área situada entre Viseu e Guarda. No local foram “encontrados” quatro feridos, três dos quais em estado grave que tiveram de ser evacuados num helicóptero EH-101

o porta-voz da Força Aérea, tenente-coronel Manuel Costa informou ainda que o exercício envolveu 73 operacionais, 58 militares – 13 dos quais espanhóis, a maioria da Ala 48 do Exército do Ar de Espanha – e 13 civis da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), do INEM e dos bombeiros de Fornos de Algodres e de Aguiar da Beira.

O cenário criado para o exercício, que começou segunda-feira e terminou na quarta-feira, situou a queda do helicóptero da ANEPC numa vasta área da região centro que se estendia até Espanha e oito minutos após a descolagem para combater os incêndios que lavravam entre Fornos de Algodres e Aguiar da Beira.

Note-se que a aeronave espanhola de busca e salvamento activada para a missão acabou por, devido ao mau tempo, não descolar e participar no exercício ao vivo para “testar, reajustar e consolidar procedimentos” bilaterais nesse domínio, precisou Manuel Costa.

O Morsa 2019 reúne várias entidades, das quais se destacam a Autoridade Nacional de Emergência e Protecção Civil, o Instituto Nacional de Emergência Médica, o Núcleo de Evacuações Aeromédicas da Direção de Saúde da FAP e os Bombeiros Voluntários de Fornos de Algodres e Aguiar da Beira.

O exercício contou com a participação de vários meios aéreos, nomeadamente o C-295M da Esquadra 502 – “Elefantes”, o EH101 Merlin da Esquadra 751 – “Pumas” e o AW119 MKII – “KOALA” da Esquadra 552 – “Zangões”.

Foto: Força Aérea Portuguesa

Artigos relacionados

Deixe uma resposta