Sexta-feira , 24 Novembro 2017
Ler também:
Centro Cívico de Cortegaça abriu portas à população

Centro Cívico de Cortegaça abriu portas à população

Foi ontem apresentado o Centro Cívico de Cortegaça, que converteu a antiga sede da Junta de Freguesia e o desactivado edifício do Sindicato dos Cordoeiros e Tapeteiros, ambos propriedade da autarquia, num único edifício multiusos.

De portas abertas, a obra representa um investimento municipal superior a 920 mil euros e era, segundo o presidente da Câmara Municipal, Salvador Malheiro, “uma obra há muito desejada, sublinhando que “há muito que Cortegaça merecia ter este espaço, mas o que nós conquistamos todos juntos deve-se ao esforço de muita gente”. A reabilitação do espaço vem dotar o edifício com novas valências, conferindo à sede da Junta de Freguesia “maior dignidade, dimensão e modernidade, de forma a dar resposta às actuais necessidades dos cortegacenses.”

A sessão desta sexta-feira contou ainda com a participação de Orlando Sá, presidente da assembleia de freguesia, e Sérgio Vicente, presidente da junta de Cortegaça, que não escondeu estar a viver um “um sonho. Nós alimentamo-nos de sonhos mas vivemos de realidade. Este é um sonho realizado. É um compromisso transformado em obra e é obra feita pelo executivo desta Câmara e pelo executivo desta Junta. Naturalmente dirijo-me em primeiro lugar aos cortegacences: Que bom é ver tanta gente feliz e sentir que, de alguma forma, somos responsáveis por vos ver assim tão felizes”.

O novo Centro Cívico resultou da união da antiga sede da Junta de Freguesia de Cortegaça e do desactivado edifício do Sindicato dos Cordoeiros e Tapeteiros, através de uma ligação interna, dotado de novos espaços, nomeadamente um Salão Nobre, Galeria de exposições, Biblioteca, Arquivo, Sala Polivalente, entre outras.

Como prolongamento do “novo” edifício, o projecto também contempla a requalificação do Largo 25 de Setembro, dando lugar a uma praça contemporânea, ideal para a realização de eventos e comemorações ao ar livre, preservando as tradições locais.

Deixe uma resposta