Opinião

[Dia 31 . 16/Ago] Às portas da Mongólia

Sabemos que já devíamos ter dado notícias mas desde a entrada no Turquemenistão começaram tantos problemas e imprevistos que a viagem se tornou numa espécie de McGyver da vida real e num autêntico rally contra o tempo.

Durante a travessia do deserto do Turquemenistão os carretos da caixa de velocidades moeram e tivemos de fazer 850Km sempre em quarta, arranjámos forma de substitui-la no Uzebequistão (ficámos pros a regatear em uzebeque e russo), corrigimos as barras de torção numa aldeia do Cazaquistão e depois a direcção perto de Almaty, e no meio houve ainda tempo para substituir dois pneus que foram aos arames pelo desalinhamento.

Ficámos sem gasolina no Uzebequistão depois de 300Km sem encontrar uma bomba e sem bateria quando sucumbimos ao sono. Tudo isto quase sem net e, para tornar as coisas ainda piores, com uma data limite: 14/Agosto, data de fim do nosso visto para a Rússia. Tivemos apenas 2 dias para fazer todo o Cazaquistão conduzindo dia e noite, reparar todos os problemas mecânicos e confiar que nos deixassem entrar na Rússia no último dia. Inimigos: milhares a buracos das estradas; auto-stops da corrupta polícia cazaque; linhas contínuas; camiões; relógio. Mas conseguimos. Às 18h de ontem, hora local, chegámos à fronteira e entrámos na Rússia com a condição de pedir extensão do visto.

É oficial, estamos na Sibéria. Descansem que no Uzebequistão e Turquemenistão tivemos tempo para visitar algumas cidades e monumentos. Vamos voltar a postar fotos e vídeos!

Miguel Jeri e Luís Rodrigues a caminho da Mongólia

Artigos relacionados

Deixe uma resposta