LocalSlider

Furadouro: Alimentação de areias vai a concurso

A secretária de Estado do Ambiente informou, recentemente, a Comissão de Melhoramentos da Praia do Furadouro, sobre as obras previstas para esta praia que, entretanto, viu ser aprovado o Plano de Ordenamento da Orla Costeira Ovar-Marinha Grande.

No âmbito da candidatura “Caracterização de Manchas de Empréstimos na Plataforma Continental de Alimentação Artificial de Troços Costeiros” (Chimera), objecto de financiamento pelo POSEUR, será a breve trecho lançado o concurso público internacional para elaboração de estudos de caracterização das manchas de empréstimo e que correspondem à primeira fase das operações de elevada magnitude de alimentação de areias.

De acordo com o preconizado com o grupo de Trabalho de Sedimentos (GTS), é identificado com carácter prioritário o sector costeiro Espinho – Torreira (a sul de Espinho e cobrindo integralmente o litoral do concelho de Ovar).

No âmbito do programa Cosmos, com início previsivelmente em setembro de 2017, a praia do Furadouro e áreas adjacentes a Norte e Sul, serão alvo de trabalhos de monitorização específicos, designadamente, levantamentos integrais da praia emersa, perfis de praia e perfis totais.

“A análise e interpretação da informação recolhida irá permitir avaliar e melhor compreender as tendências actuais de evolução da linha de costa neste troço, auxiliando no suporte à tomada de decisão em relação a eventuais intervenções de mitigação e de gestão do risco costeiro, bem como planeamento e ordenamento costeiro, de médio e longo prazo, em contexto de alteração climática”.

O Ministério informou ainda que “está em execução a candidatura financiada pelo POSEUR respeitante à protecção do litoral na região centro, entre as praias do Furadouro e Vieira”. Inclui-se na empreitada “Reconstituição Dunar a Norte do Cordão Dunar a Norte e a Sul da Praia do Furadouro, numa extensão total de 5 km, com recarga de área proveniente da zona de rebentação e reperfilamento do plano de praia, concluindo com a colocação de geocilindro nas zonas de transição, regeneradoras dunares, renaturalização com plantação de espécies adequadas e recuperação e execução de passadiços”.

A informação foi envida a na sequência de um pedido de esclarecimentos da Comissão de Melhoramentos da Praia do Furadouro, na sequência de mais galgamentos do mar na avenida marginal, em Março deste ano.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta