LocalSlider

Centenário da Igreja Matriz de Cortegaça

A actual Igreja Matriz de Cortegaça assinalou, este domingo, o centenário da sua inauguração. O templo, que se ergueu no local de outro ainda mais antigo, abriu portas ao culto no dia 19 de Agosto de 1918.

Para marcar a solenidade, a Alameda do Padre Manuel Dias da Silva e a sua envolvente foram beneficiadas, numa empreitada que orçou em 750 mil euros.

A Câmara Municipal de Ovar é a responsável pela execução da obra que pretende atribuir, a esta área de equipamento religioso, uma nova centralidade.

Salvador Malheiro, presidente da Câmara Municipal de Ovar, não deixa por menos: “Vivemos um dia de grande importância para Cortegaça e para o concelho de Ovar”. Segundo ele, a obra ali executada permite abrir a freguesia ao Município e ao turismo, pois criamos ali uma nova centralidade”.

Salvador Malheiro destaca que a obra “veio criar uma nova centralidade que oferece a quem nos visita uma novo pólo de atenção, conferindo a devida importância à Igreja Matriz de Cortegaça, cuja fachada em tons de azul pode ser agora devidamente admirada”.

O projecto da alameda que agora deixa a fachada de Igreja Matriz de Cortegaça respirar e ser admirada, foi elaborado por dois cortegacenses, Luís Miguel Oliveira e Carlos Violas. O Edil ovarense diz que este foi um trabalho que demorou cerca de quatro anos, pois o templo encontrava-se “afogado” em casas e terrenos particulares que foi preciso negociar, nuns casos, expropriar, noutros casos, para conseguir avançar para o que temos agora”.

Foi difícil, mas os prazos foram cumpridos e foi “possível cumprir o sonho de muitos cortegacenses” congratulou-se o presidente vareiro. Precisamente cem anos depois da sua inauguração, a Igreja Matriz de Cortegaça alargou horizontes e vê ser-lhe atribuída a nobreza que merecia há muito, com a inauguração da nova alameda e um programa de comemorações a preceito.

O programa da inauguração da obra incluiu a benção da inscrição na Porta Centenária, instalada em 2010 para assinalar o centenário da edificação da sua Igreja Matriz. Seguiu-se um momento musical com a Orquestra Cromática de Cortegaça.

Após a missa, a comitiva inaugurou o Campo Escutista da Ribeira, seguindo então a comitiva, cerca das 13 horas, para a inauguiração da Alameda Padre Manuel Dias e os Arranjos Urbanísticos Envolventes.

Conjunto de interesse público

Considerado um conjunto de interesse público em 2013, a actual igreja foi construída entre 1910 e 1918. A fachada que se impõe pela altura é acompanhada por duas torres sineiras e é inteiramente revestida a azulejos, de acordo com uma tendência que, desde o século XIX, se manifestou de forma particular na região de Ovar, onde boa parte das fachadas dos imóveis foram revestidas por azulejos.

A classificação do interesse público do conunto, de 2013, inclui ainda os jazigos do Cemitério Velho, situado ao lado da igreja. Executados entre o final do século XIX e o início da centúria seguinte, caracterizam-se pela utilização de um vocabulário revivalista, destacando-se pelo trabalho escultórico das suas cantarias, pelos gradeamentos em ferro forjado e, também, pelo recurso ao revestimento azulejar, configurando um conjunto de grande homogeneidade.

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta