Política

PSD acusa socialistas de “falta de tolerância e atitudes antidemocráticas”

O PSD de Ovar acusa os socialistas das Assembleias de Freguesia de Ovar e de Válega de, nas últimas reuniões, terem utilizado expressões como “trapaceiros” ou “parasitas”, que “colocam em causa a dignidade dos intervenientes e/ou de terceiros”.

Especialmente, continua o comunicado, “se os terceiros visados são detentores de altos cargos ao nível do executivo camarário, de freguesias ou enquanto dirigentes da administração pública”.

Em defesa dos seus eleitos locais – quer na Câmara Municipal de Ovar, Assembleia Municipal e nos órgãos representativos das freguesias – e dos trabalhadores e dirigentes das instituições administrativas no nosso município, o PSD de Ovar lamenta que “tais atitudes demonstrem, ainda, a impreparação de quem as produziu para exercer cargos públicos ou para representar os seus eleitores em determinados órgãos”.

Sérgio Pinho, socialista eleito na Assembleia de Freguesia de Válega, utilizou o termo “parasita” numa intervenção, mas sublinha que “foi aqui retirado do contexto”. Assim, garante, “quem lá esteve, com certeza que teve a perspicácia de entender o que quis dizer”. O valeguense assegura que não chamou parasita a ninguém. “Quando me foi sugerido que não interviesse no espaço e local para o efeito – a Assembleia de Freguesia – e falasse directamente com o Sr. Presidente da Câmara, eu respondi precisamente que o meu local de intervenção era aquele e que não me considerava, nem nunca me considerarei, um parasita. Não chamei parasita a ninguém. Nem directa nem indirectamente, pelo que em momento algum utilizei um vocábulo pejorativo”.

O executivo da União das Freguesias de Ovar, São João, Arada e São Vicente de Pereira Jusã, não comenta.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta