Opinião

A tareia do “H2, a Molécula da Discórdia” – Lobo Mau

Foi um dos momentos mais aguardados da antena TV nos últimos dias e não vi muita gente a falar sobre isto. O presidente da Câmara Municipal de Ovar e vice-presidente do PSD, Salvador Malheiro, a debater o Hidrogénio com o secretário de Estado do Ambiente, João Galamba.

Primeiro convém dizer que foi um debate civilizado e construtivo que expôs alguns dos prós e contras da aposta no H2 verde e importante para fazer chegar o tema a um público alargado. Foi meia hora de debate que valeu a pena.

Depois valeu a pena também porque deu para ver a tareia que o socialista levou de um Salvador Malheiro cheio de energia que deixou o João Galamba sem pilhas, deixando no ar a possibilidade de estamos perante uma megalomania energética, sem ponderação, pouco conhecimento e definição de verdadeiras prioridades.

Além de demonstrar que falar sobre algo que não se tem conhecimento pode não correr bem, Malheiro ainda detectou um erro no diploma que carece de ser rectificado. Foi impressão minha ou o Galamba tem todos os tiques de um anterior membro do Governo socialista que também começou por ser secretário de Estado do Ambiente? Ainda lhe falta algum “flair”, é certo, mas está no bom caminho…

Portugal deverá receber 7 mil milhões de euros em investimento privado para produzir hidrogénio verde nos próximos anos. Trata-se da aposta do Governo para alcançar os objectivos de descarbonização, mas Malheiro, embora seja adepto da “molécula”, discorda dos meios que o Governo escolheu e ficou sempre no ar que tinha o conhecimento e os argumentos na manga e que podia ter “esmagado” o Galamba em directo, mas não quis.

Chegou a ser penoso ver a cara divertida de Salvador Malheiro a ouvir Galamba como alguém que está entretido a ver um burlão tentar vender banha da cobra a uma audiência que já percebeu que ele não percebe nada daquilo e ainda não reparou que foi desmascarado.

“Mas quer fazer meças comigo?”, perguntou o presidente da Câmara Municipal de Ovar a dado ponto. O Galamba não se deve querer meter noutra igual.

O Lobo Mau

Artigos relacionados

Deixe uma resposta