LocalSlider

Acaba o Polis mas avança o desassoreamento da Ria

O ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, anunciou este sábado que “não vai haver um Programa Polis 2”, como pediam alguns autarcas da região. Segundo o ministro, a decisão de prolongar as Sociedades Polis por mais um ano, justificou-se por haver um conjunto de “fundos comunitários que tinham grande poder de utilização e não se podiam perder”. Portanto, desse ponto de vista, “sentimos que essa foi uma boa decisão”, disse Matos Fernandes.

O governante, que falava em Vagos na inauguração de mais um reforço dunar, justifica agora o fim dos Polis com a forma como está desenhado o PO SEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos. Como está, “não contempla a possibilidade de apoio comunitário ao projecto de desassoreamento da Ria”. Contempla os trabalhos previstos para a Barrinha de Mira ou para a Barrinha de Esmoriz, porque são lagoas costeiras mas a Ria de Aveiro não é.

Estando a apenas duas ou três semanas de se conhecer o resultado do Estudo de Impacto Ambiental (EIA), isso quer dizer que a obra poderia iniciar-se dentro de poucos meses. “O nosso  compromisso é que, até final do verão, vamos entregar em Bruxelas uma reprogramação do PO SEUR e, certamente que o faremos com o objectivo de poder incluir o projecto de desassoreamento da Ria de Aveiro, avaliado em 19 milhões de euros”.

Dado que o novo projecto promete retirar as areias do assoreamento para as colocar na costa, o ministro pensa que não haverá dificuldade em assegurar fundos comunitários para este projecto porque “o PO SEUR paga as despesas de defesa da costa”, além de ser, “sem dúvida, muito importante para a Ria de Aveiro” .

Matos Fernandes explicou que com a programação do PO SEUR deixada pelo anterior Governo, não havia possibilidade de financiar esta obra, mas acredita que “até final do ano isso possa acontecer, dada a dupla importância desta obra, que vai não só fazer o desassoreamento dos canais da Ria como também promover o reforço do cordão dunar.

O titular da pasta do Ambiente adiantou ainda que dois dos três ´shots´ (operações de alimentação artificial com areias das praias) previstos na Estratégia para o Litoral deverão ser executados na região: um no Norte de Ovar, outro na zona entre a praia da Vagueira – Costa Nova, eventualmente com participação do Porto de Aveiro.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo