Covid-19

Agricultura familiar pede ajuda

A União de Agricultores e Baldios do Distrito de Aveiro (UABDA) considerou “urgente” a adopção de medidas de apoio à agricultura familiar devido ao impacto que a pandemia de covid-19 está a ter no sector.

Em comunicado, a UABDA pede “apoio urgente aos agricultores no escoamento dos seus produtos e a redução dos custos aos fatores de produção, nomeadamente dos cereais, leite e carne” tendo em conta o impacto da pandemia na pequena e média agricultura, um setor “já de si fragilizado”, diz.

A UABDA apela “à concretização do estatuto da agricultura familiar, à imediata redução das taxas aplicadas nos mercados locais bem como “linhas de crédito bonificado e reduções fiscais e contributivas”.

“Num país que depende perigosamente da importação de alimentos, consequência das insistentes imposições da Política Agrícola Comum, é agora mais evidente que medidas têm que ser tomadas visando uma estratégia para o futuro que garanta a nossa soberania alimentar e que alavanque a produção nacional potenciando uma economia circular no sector”, pode ler-se no comunicado.

A UABDA considera ainda que devem ser tomadas medidas “relativamente aos prejuízos causados pela praga de javalis e pela queda de granizo que afetou, em particular, a produção de mirtilo no distrito de Aveiro onde a maioria das produções assentam na agricultura familiar em zonas desfavorecidas, que geralmente são esquecidas”.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta