Covid-19

Alunos de vários países europeus estudam as alterações climáticas na Ria

A Universidade de Aveiro (UA) vai receber, durante duas semanas, cerca de 60 alunos de 10 universidades europeias para um programa de trabalho relacionado com a adaptação às alterações climáticas em áreas peri-urbanas e rurais da região da Ria de Aveiro, mais especificamente nos concelhos de Aveiro, Estarreja, Murtosa e Ovar. Trata-se do “Intensive Program Adaptation to Climate Change in Europe’s Peri-Urban and Rural Areas of High Risk” (IP ACCE), no âmbito do programa Erasmus, coordenado pela Van Hall Larenstein University of Applied Sciences, da Holanda, e que conta com a participação do Departamento de Ambiente e Ordenamento (DAO) da UA.

Esta manhã, no Anfiteatro do DAO, realizou-se a sessão de abertura, com a presença de representantes da UA, dos municípios envolvidos no projeto (Aveiro, Estarreja, Murtosa, Ovar) e da Comunidade Intermunicipal da Ria de Aveiro (CIRA).

O trabalho de campo, que envolve 15 docentes e cerca de 60 alunos de 10 universidades e 13 nacionalidades europeias diferentes, começa dia 8 de março, com a chegada dos alunos e professores europeus a Aveiro, e termina dia 22.

As áreas em análise têm pouca capacidade de resiliência para responderem e recuperarem de situações ambientais extremas causadas pelas alterações climáticas (por exemplo, cheias e inundações, ou fogos florestais). Os estudantes vão, assim, tentar identificar potenciais respostas para estas situações, como por exemplo: criar espaço para a água de superfície, de modo a evitar as inundações; gestão das florestas para evitar os incêndios, entre outras.

Para além da Holanda, que coordena o programa, e de Portugal (através da UA), participam neste projeto universidades da Bulgária, Espanha, República Checa, Finlândia, Alemanha, Hungria, Roménia e Eslováquia.

Filomena Martins, professora do DAO, é a responsável na UA por este projeto.
 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta