LocalPrimeira Vista

Alzira e António mudaram para uma casa nova

Há quase dois meses que a Alzira e o António abandonaram as condições deploráveis em que viviam e mudaram-se para uma habitação mais condigna. “O espaço onde estavam era mau mas, desde início de setembro que a família está alojada numa habitação que tem água, luz, casa de banho, sala, quarto e cozinha equipada com frigorífico”, revela Carlos Ferreira, presidente da Associação Estrelinhas Sorridentes, de Ovar, que está a ajudar o casal nesta nova fase da sua vida. “Nós apoiamos com bens, como comida e roupa de cama”, acrescenta.

O António arranjou emprego a tempo inteiro e a Alzira está a fazer limpezas em várias casas e, juntos, têm um rendimento que lhes permite pagar a renda. As Estrelinhas Sorridentes comparticiparam, inicialmente, com um valor monetário para suportar as despesas dos primeiros dois meses da renda, mas o objectivo é que o casal se torne o mais independente possível.

Guilherme Enguião e Carlos Ferreira

Passados quase dois meses desde que se mudaram, Carlos Ferreira diz que a família está estabilizada e já começou a pagar as suas próprias despesas. “Estão igualmente inscritos para começarem a receber apoio ao arrendamento da Câmara Municipal de Ovar, pois só agora reuniram condições para proceder a uma candidatura nesse sentido”.

Na verdade, é a continuação da ajuda, porque já quando o casal estava no espaço anterior, eram as Estrelinhas Sorridentes que ajudavam com alimentos frescos, por exemplo.

Mas a associação vareira apoia mais famílias com alimentos, móveis, electrodomésticos e outros bens. As Estrelinhas Sorridentes passaram por um processo de reestruturação interna e há ainda dossiers que Carlos Ferreira, recém eleito presidente da associação, está a avaliar. “Este caso foi o que se tornou mais visível, sendo o mais complicado e urgente, já que as pessoas estavam mais fragilizadas”, recorda.

“Quando encontramos agregados nestas condições, tentamos ajudar em parceria com a Câmara Municipal de Ovar, União das Freguesias de Ovar (UFO) e também com a Santa Casa da Misericórdia de Ovar”.

É importante não perder de vista, como diz Guilherme Enguião, vice-presidente da Assembleia Geral das Estrelinhas Solidárias, que “nós somos apenas uma associação, não somos uma IPSS e o que damos durante o ano resulta de duas campanhas de angariação de alimentos que fazemos na Páscoa e no Natal, nomeadamente, no VIDA Ovar”.

Carlos Ferreira está esperançado que esta família aproveite a oportunidade que lhe foi concedida e, embora continue a precisar de muito apoio, “se mantenha nesta muito melhor realidade e continue a esforçar-se por manter-se neste caminho”.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo