CulturaSlider

Antigos Alunos da Escola Oliveira Lopes lançam apelo

A Associação dos Antigos Alunos da Escola Oliveira Lopes (AAAEOL) não quer uma “inauguração precipitada da requalificada da Escola Oliveira Lopes, antes do tempo”.

O alerta partiu de Augusto Pinho, presidente da AAAEOL, durante a cerimónia de homenagem aos Irmãos Oliveira Lopes, em Válega, solicitando ao presidente da Câmara Municipal de Ovar, para que intervenha no sentido de acautelar, desde já, a concretização de um projecto museográfico para o Museu Escolar Oliveira Lopes.

O responsável gostaria de ver acolhidas as sugestões da associação “que possam melhorar o projeto, como por exemplo, a criação de uma parede de luz com quadros de lições de coisas na sala de aulas da exposição permanente, a criação de mini horta pedagógica/herbário e, sobretudo, a construção de réplicas de mobiliário da sala de aula para que alunos visitantes possam experienciar, não danificando o espólio original, entre outras (que constam da proposta apresentada em 2011)”.

O presidente da AAAEOL lembrou que “é também importante, na medida do possível, que sejam ainda criadas reservas museológicas do concelho de Ovar, compreendendo pelo menos três áreas, para três importantes períodos da história da educação (Monarquia e 1.ª República, Estado Novo e pós-25 de Abril)”.

Assim sendo, estas reservas, deverá ter a função de acolher espólio do MEOL que não se encontre em exposição, mas também acolher as recolhas, doações, ou outras formas de incorporação, de todo o material escolar histórico proveniente, preferencialmente, do concelho de Ovar. Uma vez que se trata de um equipamento municipal, a questão da memória escolar do concelho deverá ser concentrada num único local, que facilite a gestão da coleção, bem como de recursos humanos e financeiros. Não é por acaso, que no anterior mandato autárquico, fomentamos uma visita do Dr. João Borges ao depósito municipal existente em Arada, dado que é um local onde está guardado acervo escolar do Município. Mas na realidade, há mais espólio espalhado por outros pontos do concelho de Ovar. Estamos num momento único, de deixar a nossa marca e temos em mãos a possibilidade de transformar a freguesia de Válega, no concelho de Ovar, na “Meca” da História da Educação no nosso país.

“Temos uma experiência acumulada de 20 anos na museologia que não pode, nem deve ser desperdiçada e é essencial que o projeto museográfico seja concretizado antes do término das obras de requalificação, para que não se corra o risco de se inaugurar apenas paredes e transformar-se o edifício já requalificado num verdadeiro elefante branco”, avisou.

No dia (30 de setembro) em que se deu início ao projeto “Raízes e Rostos – Memórias de Escola” que consistirá na recolha de fotografias, vídeos, documentos escritos e testemunhos orais, junto dos valeguenses, a Associação dos Antigos Alunos da Escola Oliveira Lopes procedeu à entrega de cinco bolsas de estudo denominadas “Troupe de Reis”, na cerimónia que se realizou na Capela de São Gonçalo. Foram agraciados José Gregório Pasqua Batista, que frequenta o 9.º ano, na Escola EB 2/3 Ciclos Monsenhor Miguel Oliveira, em Válega; Abílio Miguel Guerra Pereira, que frequenta o 12.º ano, na Escola Dr. José Macedo Fragateiro, em Ova); Inês Silva Marques, que frequenta o 2.º ano do Curso de Engenharia Zootécnica na UTAD – Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro;
Daniela Celestina Nunes Silva, que frequenta o 1.º ano do Curso de Direito na Universidade Clássica de Lisboa e Ana Margarida Oliveira Valente de Sousa, que frequenta o 2.º ano do Curso de Instrumentista de Sopro e de Percussão no Conservatório de Música da Jobra.

As Bolsas de Estudo “Troupe de Reis” são fruto da angariação de fundos da secção que lhe deu o nome, que desde o ano de 1987 vem actuando em diversas casas particulares, restaurantes, cafés e outros estabelecimentos comerciais.

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta