LocalPrimeira Vista

Árvores impedem moradora de abrir a janela ou ir à varanda

Em São Miguel de Ovar, há uma moradora que se queixa dos incómodos provocados por duas árvores que se encontram no passeio que passa à sua porta.

Quando foram plantadas, há cerca de uma década, estava tudo bem, mas depois elas começaram a crescer e os problemas começaram e à medida que o tempo avança, agravaram-se.

As árvores deram-se bem no local e actualmente estão bastante crescidas, mas é exactamente por isso que ela diz estar a viver problemas. “Entram-me pela casa adentro e não posso abrir uma janela, nem posso ir à varanda”, queixa-se. Quando abre a janela, os ramos entram e com eles insectos e outros animais entram-lhe em casa sem ser convidados.

“Também estou impedida de fazer melhoramento no exterior da casa, como pintar, por exemplo, porque as árvores não deixam”, lamenta, aborrecida, a moradora na rua Visconde de Ovar. Depois, “se reclamo, vêm podar e as árvores ganham mais força e cada vez ficam ainda maiores”.

Segundo conta, “os passeios já estão a levantar devido às raízes e já se têm registado acidentes, pois as pessoas com menor mobilidade tropeçam a caem”. Dentro de casa também suspeita que há consequências e prejuízos causados pelas raízes.

Ela garante que anda há anos a pedir aos serviços camarários que lhe resolvem o problema sem sucesso. E para ela a solução era retirar as árvores dali.

A Câmara Municipal de Ovar diz que tem conhecimento desta situação e tem a poda da árvore, na Rua Visconde de Ovar, e de outras árvores que atingiram volume incomportável na Rua Elias Garcia, agendadas para esta quarta-feira, recorrendo a aquisição de serviços de máquina elevatória.

O Município sublinha que “a situação não foi resolvida mais cedo por avaria do equipamento municipal destinado ao efeito, o que obrigou a avançar para o procedimento de aquisição de serviços”.

A Câmara Municipal vai ainda avaliar os eventuais prejuízos que as raízes estarão a provocar na habitação e relativamente ao corte total da árvore também estão a ser devidamente analisadas e avaliadas as consequências do acto.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo