Política

Autarca de Estarreja é arguido na operação “Ajuste Secreto”

O vice-presidente da Câmara de Estarreja, Adolfo Vidal, é um dos arguidos da operação “Ajuste Secreto” e revelou que vai pedir a abertura de instrução do processo.

Em comunicado, a Câmara estarrejense liderada pela coligação PSD/CDS-PP confirma que o vereador Adolfo Vidal foi constituído arguido no âmbito da operação “Ajuste Secreto”, que investigou eventuais ilegalidades cometidas em concursos públicos e nos ajustes directos de obras municipais.

“Concluída que foi a primeira fase do processo e assentando a acusação em meros indícios, será requerida a abertura de instrução para desse modo carrear para o processo provas que demonstrem a inocência do visado e assim colaborar com a justiça”, refere a mesma nota.

A instrução é uma fase processual facultativa que pode ser requerida por qualquer um dos arguidos ou assistentes e que visa decidir se o caso segue ou não para julgamento.

Além de Estarreja, a investigação abrangeu outros dois municípios do distrito de Aveiro (Oliveira de Azeméis e Albergaria-a-Velha) e duas câmaras do distrito do Porto (Matosinhos e Gondomar).

Numa nota publicada na sua página oficial na Internet, a PGD do Porto indica que por despacho proferido no dia 06 de novembro, o MP acusou 68 arguidos imputando-lhes crimes de corrupção passiva, corrupção ativa, peculato, abuso de poderes, tráfico de influências, falsificação de documentos, violação de segredo, participação económica em negócio e prevaricação.

A operação “Ajuste Secreto” resultou de uma investigação que culminou em junho de 2017 com a detenção de sete pessoas, incluindo o vice-presidente da Federação Portuguesa de Futebol e ex-presidente da Câmara de Oliveira de Azeméis, Hermínio Loureiro.

A acusação refere ainda que um funcionário da Direção Regional de Economia do Norte terá beneficiado um empresário, entre 2010 a 2017, a troco de vantagens económicas, intercedendo e favorecendo sociedades em processos contraordenacionais e administrativos.

No decurso da operação “Ajuste Secreto” foram realizadas 31 buscas, designadamente a cinco câmaras municipais (Oliveira de Azeméis, Estarreja, Albergaria-a-Velha, Matosinhos e Gondomar) e cinco clubes de futebol, todos do concelho de Oliveira de Azeméis, com a participação de cerca de 90 elementos da PJ e cinco magistrados do Ministério Público.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo