Covid-19

CDS desmente versão de Salvador Malheiro

O CDS de Ovar acusa o presidente da Câmara Municipal de Ovar, Salvador Malheiro, de faltar à verdade na entrevista ao Diário de Aveiro, quando se referiu às negociações com vista a uma coligação para as autárquicas de 2013.

Segundo o presidente da Comissão Política Concelhia do CDS de Ovar, José Manuel Pinho, foi o PSD que comunicou ao CDS que “teria aprovado por unanimidade a coligação mas que teria que cumprir os estatutos do partido, levando a proposta a plenário concelhio, facto que era apenas um proforma, visto que não acreditava que o plenário chumbasse uma proposta da concelhia”. 

Na mesma versão dos acontecimentos, o PSD voltaria a reunir com o CDS para acordar os lugares nas listas de candidatos, “o que decorreu com toda a normalidade”. Após esta reunião, José Manuel Pinho diz que o CDS ficou “apenas a esperar pelos plenários concelhios de cada partido para assinar o acordo”.
Depois da proposta de coligação ser aprovada nos plenários dos dois partidos, o dirigente centrista diz que contactou o então presidente da concelhia do PSD,

Salvador Malheiro, para saber o ponto de situação. “Qual não foi o nosso espanto, quando o presidente da concelhia do PSD informou que, com muita pena dele, e apesar do plenário ter aprovado a proposta de coligação, havia elementos da concelhia que discordavam e que, portanto, o PSD não iria fazer a coligação com o CDS”.

José Manuel Pinho garante que poderia pormenorizar todo o processo, mas não  tenciona fazê-lo “por uma questão de ética”, embora diga saber quais “as verdadeiras razões para o PSD não ter feito o acordo com o CDS”.

Ainda na mesma entrevista, o presidente da Câmara Municipal de Ovar referiu-se à campanha feita pelo CDS como tendo sido “deplorável e de baixo nível”, mas o líder do CDS garante que fez uma “campanha correcta, respeitando todos os adversários”. José Manuel Pinho assevera que não divulgaria aqueles factos de campanha se não surgissem estas afirmações na entrevista, “como também nunca divulgámos as SMS (algumas insultuosas) enviadas por Salvador Malheiro a militantes e candidatos do CDS”. 

“Esta forma de estar na política não é a nossa e lamentamos que o PSD tenha optado por este caminho, pois é bonito saber perder, mas também é igualmente bonito saber ganhar”, termina José Manuel Pinho.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta