Covid-19

“Decisão em nada altera o quotidiano dos ovarenses”

A reactivação do Gabinete de Crise da Câmara Municipal de Ovar integra-se numa estratégia de “prevenção” do risco, estando completamente descartada a possibilidade de repetir um cordão sanitário no concelho como aquele que aconteceu entre Março e Abril últimos.

O presidente Salvador Malheiro assevera que “esta decisão em nada altera o quotidiano dos ovarenses”, frisando que aquela declaração é normal nas actuais circunstâncias epidemiológicas.

“Hoje, em Ovar, estamos claramente melhor do que o resto do país. Em março e abril, o município estava muito pior do que o resto do país, com 500/600 caso activos e Portugal tinha 25 mil casos activos”. Actualmente, “temos no país 50 mil casos activos e em Ovar 140, ou seja, reduzimos dois terços”.

O autarca justifica a activação do plano municipal de emergência “para o caso da situação se complicar podermos dar uma resposta em tempo real”.

Mas neste cenário não entra a reactivação do Hospital de Campanha. “Isso não passa por nós, porque tem que ser o Ministério da Saúde a decidir e a pagar”, avisa, porque “na estrutura que se montou na Arena Dolce Vita foi a Câmara Municipal de Ovar a arcar com a totalidade da despesa e, até hoje, o Governo ainda não pagou um cêntimo”.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta