CarnavalPrimeira Vista

Melhores condições para responder ao aumento de espectadores

canto certo

O vereador que coordena a organização do Carnaval de Ovar, Alexandre Rosas, garante que os espectadores terão este ano melhores condições para usufruir dos corsos.

“Fomos ouvindo as críticas que nos chegavam e fizemos algumas mudanças, porque a realidade é que os níveis de público no nosso Carnaval cresceram muito nos últimos anos, mas as condições do desfile não eram atualizadas praticamente há 20 anos”, explica Alexandre Rosas.

Em causa está o rebaixamento de uma rotunda que perturbava a fruição contínua dos grande corsos na Avenida Sá Carneiro e também a instalação de uma estrutura com degraus ao longo de 500 metros dessa artéria, para distribuir os espetadores com bilhete de peão por diferentes cotas e assim lhes garantir maior visibilidade para os cortejos.

Os desfiles pagos, no domingo na terça-feira, são os que registam maior audiência. A organização responde com a oferta de 4.100 lugares sentados numa bancada própria e pode acolher ainda mais 20.000 pessoas em pé nos novos estrados, para além de 500 espetadores distribuídos por cinco camarotes privados.

Essas cabinas foram uma inovação introduzida em 2015 para garantir maior conforto a grupos familiares e empresariais, mas mesmo esses espectadores continuavam a deparar-se com a questão da rotunda que, a meio da Avenida Sá Carneiro, obrigava o corso a uma curva acentuada, interrompia a sua marcha fluída e impedia a visualização do desfile em toda a extensão dessa artéria.

“Agora também acabámos com esse problema”, garantiu Alexandre Rosas. “A rotunda passou a ser plana e os figurantes e carros alegóricos só têm que desfilar por cima”, acrescentou.

Se nessa intervenção a Câmara Municipal gastou cerca de 50.000 euros e no triplo estrado para espectadores-peão 15.000.

“Com melhores condições para os grupos desfilarem e para as pessoas verem o Carnaval, só faltava obrigar os corsos a acabarem mais cedo, para o público não ficar tantas horas ao frio, às vezes já no escuro, e se evitar que os últimos do cortejo tenham sempre menos gente a vê-los”, explica o vereador.

Das negociações entre autarquia, colectividades participantes e escolas de samba resultou assim a norma que estipula que “cada grupo tem agora apenas 54 minutos para desfilar, de um extremo ao outro do percurso”.

Alexandre Rosas admitiu que as condições meteorológicas exercem sempre alguma influência no ritmo do desfile, mas espera que não volte a repetir-se “a situação do ano passado, em que passava das 20:00 quando o cortejo acabou”.

A pensar no efeito que temperatura e bancos rígidos podem ter nos mais de 8000 espectadores que já compraram lugares sentados para os corsos do próximo domingo e terça-feira, o vereador garante: “Este ano, o desfile acaba por volta das 18:00, 18:30″.

Para além dos corsos pagos previstos até terça-feira “gorda” – nomeadamente o das escolas de samba no sábado à noite e os cortejos principais de domingo e terça à tarde – o programa do Carnaval de Ovar ainda propõe para hoje uma nova edição da Farrapada, em que o público é convidado a desfilar pelas ruas do centro da cidade com as suas próprias fantasias.

Max

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo