LocalPrimeira Vista

Missionários apelam à generosidade para escola de Calumbo

Destaques
  • O jovem vareiro apela à generosidade de todos os que possam ajudar para que o façam para o seguinte IBAN: PT50003600959910005169771 com o nome de conta "Rosto Solidário".

David Tavares e o Carlos Calisto, acólitos da Paróquia de São Cristóvão de Ovar, queriam regressar a Calumbo, em Angola, para terminar uma missão que os apaixonou e merece ser concluída. Trata-se do projecto da Escola Primára de Calumbo que precisa de obras urgentes de reabilitação. “As três salas de aulas estão sobrelotadas, os problemas estruturais são visíveis, mas tenta-se sempre que caiba mais alguém”. David Tavares aponta ainda que o estabelecimento de ensino tem um recreio sem protecção. Apesar das condições deficitárias da escola, em contas feitas muito por alto, “há cerca de 200 crianças em idade escolar à espera de lugar”.

Os jovens estiveram desde 18 janeiro até 20 Março em serviço missionário de voluntariado passionista na comunidade dos missionários passionistas em Calumbo, município de Viana, pertencente à província de Luanda, em Angola. “Uma semana depois da nossa chegada a Calumbo, já tínhamos tantas histórias para partilhar, tantas aprendizagens adquiridas, tantos sorrisos dados e recebidos, tanto amor que nos preenche”, recorda David com saudade.

Aos dois juntou-se Regina Silva, da Paróquia de Pigeiros, concelho de Santa Maria da Feira. “Fizemos parte do grupo Voluntariado Passionista e da Organização Não Governamental Rosto Solidário de Santa Maria da Feira que nos ajudou na preparação da missão”, conta David Tavares que, desta forma, viu concretizado o sonho de fazer serviço de voluntariado missionário em Angola. “Quando nos diziam que este lugar era um pedacinho no céu, pensei que estavam a fazer uma descrição exacta, mas estavam”, constata David ao Diário de Aveiro.

Em Angola, Carlos Calisto, companheiro de missão, ocupou-se da manutenção dos equipamentos informáticos existentes na congregação, como na biblioteca por exemplo, deu formação de Informática na óptica do utilizador na prisão de Kaquila e deu aulas de inglês aos seminaristas. Ainda prestou apoio nas actividades escolares às crianças frequentadoras da biblioteca, participou e auxiliou nas actividades diversas da comunidade.

O David Tavares ficou incumbido de organizar a biblioteca “Imbodeiro do Saber” e auxiliou nas actividades relacionadas com a biblioteca da prisão de Kaquila. “Em ambas as bibliotecas coloquei novos livros, colei etiquetas e carimbei e cataloguei os livros com o carimbo da biblioteca”.

No “Imbodeiro do Saber”, recorda ainda, “coloquei os livros nas prateleiras diversas de acordo com as categorias, verifiquei se tinha livros em falta, fiz a contagem de quantos livros existiam na biblioteca”. Outra actividade que lhe deu imensa alegria foi ensinar o abecedário às crianças, “fazer desenhos com elas e ler-lhes histórias”. Com autorização do Padre Nuno Almeida, “também colaborei nas actividades religiosas no Santuário de S. José de Calumbo, orientei a via-sacra, o terço mariano e acolitei na missa aos Sábados de manhã e nas vigílias à noite das primeiras sextas-feiras de cada mês”.

Claro que a estadia em Calumbo e em Angola não reduziu ao trabalho. “Aproveitamos a vista deslumbrante e privilegiada para o Rio Kwanza todas as manhãs, as cores do pôr-do-sol e aproveitamos ao máximo o carinho gigante daquele povo que nos faz sentir em casa, em família”. Mas houve outros momentos que ficaram igualmente marcados na memória do David: “No Santuário de S. José, por exemplo, as mamãs e os jovens já me chamavam “senhor padre”, lembra com um sorriso de emoção.

Não é por acaso que David Tavares e os amigos querem voltar a Angola para terminar os seus projectos. “Já temos algumas ajudas para a escola de Calumbo, mas ainda precisamos de mais apoio, pois a situação está mesmo complicada”.

Calumbo fica na periferia de Luanda, é picada angolana, e os Missionários Passionistas já conhecem a região de diversas missões efectuadas. Os polos da Biblioteca de Ovar e Esmoriz já fizeram doações de muitos livros que as pessoas e os alunos requisitam e é preciso arrumar todos os dias no seu respectivo lugar. David Tavares conhece bem as bibliotecas e não esconde que pensa voltar mas com a Pandemia os planos foram alterados. Este ano, compreensivelmente, não vão voluntários passionistas e, para o ano de 2021 ainda não se sabe, mas seja como for, David pensa dar a sua “vez aos nossos amigos do voluntariado passionista que ainda não foram em missão”.

O jovem vareiro apela à generosidade de todos os que possam ajudar para que o façam para o seguinte IBAN: PT50003600959910005169771 com o nome de conta “Rosto Solidário”.

O Rosto Solidário: O que é?

A Rosto Solidário nasceu em 2007, promovida pela Congregação Passionista em Santa Maria da Feira e por um grupo de leigos da comunidade local, suportada numa longa experiência de apoio a famílias em situação de vulnerabilidade social e da experiência dos Missionários Passionistas nas Missões de Angola.

É uma associação para o desenvolvimento, sem fins lucrativos, reconhecida desde 2008 como ONGD (Organização Não Governamental para o Desenvolvimento) pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros, beneficiando do estatuto de pessoa colectiva de utilidade pública.

Trabalha em prol do desenvolvimento, promovendo equidade, direitos humanos e igualdade de oportunidades, através da realização de projetos concretos centrados na educação e cultura das comunidades. Valoriza a participação e a integração através do voluntariado, da solidariedade e do trabalho em rede e parceria.

 

Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo