Covid-19

“Mudar as datas

Antecipar a data da realização das Festas do Mar, no Furadouro, foi a sugestão apresentada por um “vareiro”, que terá tido dificuldades em chegar à Torreira, deixando a sua terra, para ir assistir às festas de S. Santiago, no concelho da Murtosa.

Sugeriu a alteração de datas, e deixou o seu testemunho, para que dele fosse tomado conhecimento pelas Comissões de Festas do Mar, do Furadouro. 
Mudar a data, só por que na Torreira, desde sempre, o dia 8 de Setembro foi respeitado e vai repetir-se a coincidência nos anos de 2019/2024 e 2030. 

E no Furadouro, há quantas décadas, se é que o “vareiro” sabe quanto anos comporta uma década, os festejos se realizam na segunda semana de Setembro?

Mas este “vareiro”, que terá sentido a concorrência vinda do sul, não teve pejo em sugerir a mudança de data, para uma outra que iria colidir com iguais manifestações, centenárias, em uma das duas terras, a norte, da província concelhia, de Ovar.

Esta sobranceria e o desprezo pelo que devia ser de todos, incomoda quem se sente explorado e espoliado daquilo que a si pertence.

Mas, o que incomoda, não é só a sua ignorância sobre o passado do concelho, a sua falta de respeito pelos valores e tradições daqueles que, em verdade, não se consideram de vareiros, mas que são forçados a pagar impostos, que são gastos e desbaratados em obras para alindar a “sua terra”. O que incomoda é o facto de esse “vareiro”, se sentir “ciumento” por que a Torreira terá tido, nesse dia, a visita de muito mais “gente” do que o Furadouro. 

O que incomoda é que esse “vareiro” se manifeste descendente daqueles que estavam na Câmara de S. Cristóvão de Ovar, que agora se espera passe a Municipal, naquele longínquo ano de 1960, onde entrou um pedido de subsídio para atenuar o sacrifício dos Esmorisenses, nas festas a realizar em honra do Senhor dos Aflitos e Senhora da Boa Viagem. 

Ao pedido a edilidade vareira deu esta simpática resposta: “somente pode subsidiar as Festas Populares que sejam oficiais e oficializadas, que é o caso neste concelho (Ovar) das Festas do Furadouro e do Carnaval.”

Mas, à Junta de Turismo do Furadouro, igual pedido foi feito e a resposta chegou: “porque está há muito estabelecido o princípio de subsidiarmos apenas as Festas do Mar, na Praia do Furadouro”. 
Subsidiem-se com o que é vosso, mudem todas as datas, mas mudem, também, o nosso estatuto de “colonizados”. 

Em Esmoriz não se tem orgulho de viver e conviver com “alguns” vareiros.

Florindo Pinto

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo