Covid-19

Novo teste detecta anticorpos invisíveis até agora

Criado com base na tecnologia genética do Conselho Nacional de Investigação Espanhol (CSIC), o teste foi desenvolvido pelos investigadores de Hematologia e Imunologia Fabián Tarín, Francisco Marco e Paula Piñero, do Centro Hospitalar de Alicante e do Instituto de Saúde e Investigação Biomédica de Alicante (Isabial).

“Até à data tínhamos provas de que uma percentagem minoritária (cerca de 5%) de pessoas com infeção comprovada, especialmente leve, assintomática, e imunodeprimidos parecia não desenvolver anticorpos e provavelmente permaneciam desprotegidos perante uma possível reinfeção”, disse Fabián Tarín à agência espanhola de notícias Efe.

Esta técnica, mais sensível do que as convencionais, revela que “quase metade destes doentes possuem anticorpos em pequenas quantidades, invisíveis a outras técnicas, podendo, portanto, ter alguma proteção contra o SARS-CoV-2”, explicou o investigador.

Portanto, a detecção dessas baixas taxas de anticorpos, que são indetetáveis noutros testes, é uma informação valiosa para a estratégia médica destes pacientes que, de facto, podem ser protegidos caso voltem a ser infetados.

O trabalho dos investigadores baseia-se em linhas celulares obtidas pela engenharia genética dos laboratórios CSIC e assenta num teste conhecido como citometria de fluxo que só precisa de um microlitro de sangue retirado do dedo, adianta a Efe.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta