Opinião

O Impacto do Tabaco na Saúde – Dr. Delfim Teixeira

Juntamente com os fatores de risco mencionados nas duas últimas crónicas – o valor elevado de colesterol LDL (colesterol “mau”) e as tensões arteriais elevadas (valores acima de 140/90mmHg) – o ser fumador é também um dos fatores que aumenta o seu risco cardiovascular.

A doença cardiovascular é a principal causa de morte a nível mundial, matando mais de 17 milhões de pessoas por ano. As principais causas desta doença são o uso do tabaco e a exposição ao fumo de forma passiva.

A exposição ao fumo de tabaco de forma passiva é, por si só, responsável por causar doença cardíaca em adultos, aumentando o risco de doença em aproximadamente 30%.

Mesmo os fumadores que fumam menos de cinco cigarros por dia demonstraram estar em maior risco de desenvolver doença cardíaca.

Sabe-se que o tabagismo é a principal causa de morte evitável, de doença e de empobrecimento a nível mundial. Segundo a Organização Mundial de Saúde, o tabaco é responsável por cerca de 7 milhões de mortes por ano em todo o mundo, das quais 890,000 destas são resultantes da exposição ao tabaco de forma passiva.

O tabagismo leva ao desenvolvimento de diversas doenças agudas e crónicas, sendo também a principal causa de cancro de pulmão e o principal fator de risco para o desenvolvimento de doenças respiratórias como a Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica. O fumo do cigarro, que contém múltiplos carcinogéneos, é composto por gases e partículas que se vão depositar substancialmente no pulmão quando o fumo é inalado.

Os hábitos tabágicos são também responsáveis por aumentar o risco de desenvolvimento de outros cancros, nomeadamente: da laringe, do esófago, da orofaringe, do fígado, do pâncreas, do colon e reto, da próstata e da mama.

O risco de desenvolver Diabetes Mellitus Tipo 2 (DM2) é 30-40% superior nos fumadores, não só pela toxicidade direta do tabaco sobre o pâncreas, mas também porque o fumo do tabaco contém cádmio, que está associado à DM2.

Fumar é também um fator de risco para o desenvolvimento de tuberculose, “enfartes cerebrais” (AVC), doenças oculares (como, por exemplo, cataratas), assim como também é uma causa conhecida de disfunção eréctil.

A cessação tabágica é importante para a sua saúde, pois permite obter benefícios quer imediatos, quer a longo prazo, nomeadamente:

  • Em cerca de 20 minutos, há uma diminuição do batimento cardíaco e da Pressão Arterial;
  • Em 12 horas, o nível de monóxido de carbono no sangue volta ao normal;
  • Em 2-12 semanas, a circulação sanguínea melhora e a função pulmonar aumenta;
  • Em 1-9 meses, diminui a tosse e a falta de ar;
  • Em 1 ano, o risco de doença cardíaca é cerca de metade daquele de um fumador;
  • Em 5 anos, o risco de “enfarte cerebral” (AVC) é reduzido ao de um não-fumador 5 a 15 anos após o abandono;
  • Em 10 anos, o risco de cancro de pulmão desce para cerca de metade do fumador e o risco de cancro de boca, laringe, esófago, bexiga, colo do útero e pâncreas também diminui;
  • Em 15 anos, o risco de doença cardíaca é igual ao de um não-fumador.

 Por todos os riscos associados ao uso do tabaco é essencial deixar de fumar o mais rapidamente possível. Em primeiro lugar tem de ter consciência dos malefícios do tabaco para que depois tenha motivação para tomar a decisão de deixar de fumar. Informe-se com o seu médico de família sobre as estratégias disponíveis para ter sucesso nessa nova etapa.

Delfim Teixeira
Médico Interno
USF João Semana

 

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta