CulturaSlider

“Olhares de Margarida” para ver em Esmoriz

O interesse de Margarida Barra pelas artes “vem de muito cedo”, e isso levou-a a licenciar-se em escultura pela Escola Superior de Belas Artes do Porto. “Na escultura dedico-me à produção de obras em cerâmica e bronze e na pintura trabalho principalmente as técnicas de óleo e acrílico sobre tela”.

É o produto desse amor à arte que está patente ao público, em Esmoriz, na exposição “Olhares de Margarida”, numa casa no centro da cidade.

“Desenvolvi uma forma inovadora de combinar a pintura sobre o vidro com o recorte, sobreposição e justaposição de peças de vidro de diferentes cores, tamanhos e texturas”, conta a artista que há doze anos produz intensamente recorrendo à técnica de vitrofusão.

Através da inclusão de metais no vidro obtém obras com cores e texturas peculiares. O efeito óptico cromático alcançado, captura a dança da luz e da cor. “É um resultado fascinante, de um processo que depende da habilidade da perspectiva do olhar e da mente do observador”, sustenta.

A casa que alberga a exposição também conta uma história antiga, de 90 anos, tendo pertencido ao antigo presidente da Junta de freguesia de Esmoriz, António Barra e ao juiz conselheiro Salviano de Sousa, ambos fundadores da Comissão de Melhoramentos de Esmoriz, de quem é, respectivamente, neta e filha, e que hoje incorpora um salão de exposição permanente com trabalhos de Margarida.

Vítor Teixeira, curador da exposição “Olhares de Margarida”, da Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa do Porto, salienta que “há um significado interno, um conteúdo intrínseco em cada obra, tela ou vitrofusão, cerâmica, em cada criação de Margarida Barra, no seu aristotélico labor de não ficar refém da aparência externa das coisas, mas procurando que elas revelem vias de significação”.  “Uma artista que espoleta significações e mistérios, encantos, que desencadeia a transmissão de sentimentos”, realça o professor.

Margarida Barra está representada em diversas exposições colectivas e individuais, com obras em tapeçaria, pintura, cerâmica e vitrofusão. Neste momento, conta com duas exposições itinerantes na Câmara Municipal de Oliveira do Bairro e no Espaço Galeria do CMEP – Clínica Médica do Exercício do Porto. A sua obra está igualmente representada na Câmara Municipal de Ovar, Centro de Artes de Ovar, Fundação José Rodrigues e na Galeria Olga Santos. Também, a partir de 11 de Outubro, vai orientar um Atelier de Técnicas de Vitrofusão (curso prático), no Instituto Cultural D. António Ferreira Gomes, no Porto (www.icafg.pt).

O salão de exposição permanente e o atelier de Margarida Barra aguardam a sua visita, na Avenida 29 de Março, em Esmoriz, todos os sábados, a partir das 17 horas, com entrada gratuita mas sujeita a marcação prévia.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta