LocalSlider

Peregrino perdeu o cajado de Santiago em Esmoriz

Nasceu em S. João da Madeira e é, certamente, um dos peregrinos mais famosos de Portugal. Na semana passada, a caminho de Fátima, passou por Esmoriz e diz que foi aqui que perdeu o cajado de Santiago de Compostela. “Era maior do que eu e tinha os símbolos de Santiago”, veio Manuel Londreira contar-nos. “Deixei-o num café em Esmoriz, perto da Junta de Freguesia”, acrescentando que quando deu pela falta e foi para trás, “já lá não estava”.

O apelo é evidente: Se por acaso viu ou encontrou este cajado fale connosco para o entregarmos ao peregrino de 78 anos de idade que já leva um total de 110 caminhadas ao Santuário de Fátima.

Para esta viagem, Manuel Jesus Londreira partiu de Serradelo, freguesia de Raiva, no concelho de Castelo de Paiva, onde vive. Tudo começou, há cerca de 40 anos: “Depois de pagar uma promessa que fiz quando fiquei praticamente cego, comecei a pagar as promessas de outros”.

“Esta é a 110.ª vez que vou a Fátima a pé”, contabiliza Manuel Londreira. “Cinquenta vezes foram para mim, porque prometi, quando comecei, há mais de 40 anos, devido a um problema de visão que tive”. Depois, quando começou a ficar melhor, prometeu mais dez caminhadas, mas reconhece que teve de “fazer três ou quatro viagens por ano para despachar as promessas”.

“Agora pago promessas de outras pessoas doentes, acamadas, tetraplégicas, etc., e não cobro um tostão. Sinto-me bem a fazer isto e as pessoas reconhecem-me a ajudam-me pelo caminho”. Manuel Londreira fica a dormir e a comer em quartéis de bombeiros, lares e casas de gente amiga que foi fazendo ao longo dos anos.

Mas a lei da vida é mais forte e Manuel Londreira já não tem a força de outros tempos. “Tenho 78 anos e já não posso das pernas e dos pés”. Vai fazer esta caminhada e decidirá se vai continuar ou não. “Logo vejo como me sinto. Se não estiver bem, penduro as botas”, disse.

Mesmo assim, depois de Fátima, já projecta nova caminhada a Santiago de Compostela. “Daqui a 15 dias, vou para Santiago, porque diz-se que quem não for em vivo vai depois de morto e eu não facilito”, brincou.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta