Opinião

Ponferrada “és mucho” – Henrique Gomes

O cartaz que publicita a cidade leonesa de Ponferrada tem como imagem o castelo local e a frase ”es mucho”.
E na verdade, Ponferrada tem um castelo e “es mucho” importante na história recente do ciclismo português- aqui se encerrou o mais vitorioso ciclo do ciclismo português.

Os Mundiais de Ponferrada serviram para mostrar um estado de harmonia e satisfação raramente encontrado no ciclismo português.
Por aqui se festejou uma época ímpar da modalidade- nunca antes o ciclismo nacional tinha atingindo um nível tão elevado; nunca antes tínhamos encontrado uma comunhão tão forte entre ciclistas e público. O titulo de Rui Costa permitiu a união de todos os adeptos do ciclismo e o desabrochar de movimentos e clubes que fomentam a prática a diversos níveis da modalidade.

Em Ponferrada festejou-se Florença- a claque portuguesa que faltou na conquista do título do Rui Costa marcou presença na cidade leonesa.
Como consequência desta situação, tivemos uma invasão portuguesa à bela cidade leonesa de Ponferrada. Fomos o segundo maior contingente presente neste Mundial deixando surpreendidos os espanhois .
Nuestros hermanos não esperavam tão grande e bem disposta invasão. E isso era bem audível nos comentários feitos pelos locais. Fomos os grandes agitadores do dia em Ponferrada.

Um vasto conjunto de gente de diferentes escalões sociais saboreou um momento único, talvez mesmo irrepetível na história da modalidade.
Em Ponferrada percebeu-se que o adepto português do ciclismo está em mutação: subiu o nível cultural e financeiro do tradicional seguidor da modalidade. Essas transformações saltaram à vista de todos no último Mundial.

Se alguns alimentavam a esperança de ver repetido o êxito do ano passado, todos festejavam o facto de pela primeira vez na História dos Mundiais de Ciclismo, o dorsal número 1 estar na posse da seleção portuguesa: o nosso Mundial já estava ganho mesmo antes de ser dada a partida.

Em Ponferrada estiveram diversas comitivas de quase todos os pontos do país. Alguns autocarros foram alugados para transportar centenas de adeptos. Todos saíram de Ponferrada felizes, pois o grande resultado já estava perpetuado desde do ano passado.
Essa situação permitiu abordar este Mundial com um nível de conforto e satisfação nunca antes concretizado. Fora ou dentro do percurso, o ambiente que rodeou a comitiva portuguesa foi de festa, exaltação e descontraída responsabilidade.

Os ciclistas nacionais estiveram rodeados por um apoio extra nunca antes visto em anteriores Mundiais. Competição terminada e todos os ciclistas portugueses que participaram no Mundial, pessoas bem formadas, vieram publicamente reconhecer e agradecer o conforto dado pelas centenas de portugueses presentes em Ponferrada.
Ainda bem!

Henrique Gomes

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo