BasquetebolDesportoSlider

“Porra, que despedida mais perfeita!”

[themoneytizer id=”16574-1″]

“Já mais recomposto das emoções fortes de ontem” (n.r.: Final foi no sábado, em Peniche), Nuno Leite diz que “não podia deixar de dar uma palavra de agradecimento a todos os elementos que contribuíram para esta época fantástica”.

Uma das peças chave da Ovarense “B” na conquista do campeonato, Nuno Leite diz que a subida e o título nacional fizeram sempre parte dos objectivos da equipa, “mas estivemos sempre cientes de que teríamos que trabalhar muito para o alcançar”.

Basicamente, “teríamos de ser uma equipa à Ovarense. Foi com isto em mente que arregaçámos as mangas, e com a garra, a entrega e a dedicação que sempre caracterizaram o nosso balneário – sem dúvida um dos melhores em que já estive – partimos para uma temporada difícil, mas em que fomos sempre superando os obstáculos”, escreveu nas redes sociais, depois da equipa se sagrar Campeã Nacional da 2.a Divisão ao derrotar o Montijo por 69-66, na final em Peniche.

“Quem já andou lá dentro sabe que manter a consistência não é fácil, mas para quem termina uma época com 32 vitórias e duas derrotas, o resultado só poderia ser este: a conquista de mais um título nacional para a Ovarense”. E a verdade, assegura, “é que não há melhor sensação no mundo do que conquistar um título ao serviço do clube da terra, ao serviço do clube do coração – ainda por cima da maneira que foi”.

Nuno Leite, filho do histórico da Ovarense, Mário leite, ainda não sabe o que o futuro lhe reserva, mas este poderá ter sido o último jogo com a camisola da Ovarense – a manterem-se as actuais regras federativas, poderá não ser possível dar o contributo à equipa B na próxima época.

No entanto, “se o meu último jogo pela Ovarense foi a marcar um triplo para o caneco… Porra, não podia imaginar despedida mais perfeita!”

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo