Covid-19

Processo de vacinação será centralizado em Maceda

A última reunião do executivo tomou conhecimento de que a Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro (CIRA) decidiu que, quando chegar o momento, a vacinação deverá centralizar-se num único espaço.

No concelho de Ovar, esse processo deverá decorrer na Extensão da USF Laços de Maceda cuja capacidade deve atingir 300 pessoas vacinadas por dia, informou o chefe dop executivo social-democrata, Salvador Malheiro. A população com mais de 80 anos no concelho cifra-se em 3.000 pessoas, pelo que o Município espera que em duas semanas todas essas pessoas estejam vacinadas.

O vereador do PS, Artur Duarte, manifestou preocupação com a forma como as pessoas serão contactadas – SMS ou contacto telefónico. “Ocorre que muita da população com mais de 80 anos não está familiarizada com este tipo de tecnologias ou nem sequer tem telefone”. Para que ninguém fique para trás, defendeu uma “acção em conjunto com as Juntas de Freguesia de forma a assegurar que toda essa população será contactada e informada sobre o seu processo de vacinação”.

Além disso, alertou que “será necessário montar uma operação de logística que permita a presença dessas pessoas em Maceda nos dias aprazados para a tomada das vacinas”. “Será que se estudou a possibilidade de descentralizar os centros de vacinação?”, questionou.

A propósito desta questão, a vereadora Júlia Oliveira informou que a centralização se impõe por questões ligadas aos recursos humanos necessários para administrar as vacinas e com a logística inerente à sua utilização e conservação. “Como a vacina não vem embalada em doses individuais, é necessária alguma perícia dos enfermeiros de molde a obter o máximo rendimento de cada frasco, que bem aproveitado pode dar pelo menos mais uma dose”. Além disso, “como a vacina tem de ser armazenada a temperaturas bastante baixas e não suporta muito tempo à temperatura normal, por uma questão de segurança justifica-se essa centralização”.

Salvador Malheiro concordou que tem de haver colaboração das autarquias (Município e Juntas de Freguesia) mas que, para já, foi opção de as entidades sanitárias centralizarem em si todo o processo de vacinação, tendo manifestado a disponibilidade de colaborar no que for necessário.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta