CulturaSlider

Depois do Carnaval, a penitência e as procissões quaresmais

Após o último dia de Carnaval (terça-feira) inicia-se o tempo da Quaresma, com as Cinzas, em datas determinadas pela Páscoa, vividas pelos vareiros num contraponto veemente com o período anterior. A maior festa cristã, que evoca a Ressurreição de Jesus, é aqui celebrada com fervor ao longo dos tempos.

Perante práticas pré-cristãs, a Igreja Católica viria a promover alterações que permitissem ligar o período carnavalesco com a Quaresma. Sobre a origem da palavra Carnaval não há unanimidade entre os estudiosos, mas as hipóteses “carne vale” (adeus carne) ou de “carne levamen” (supressão da carne) remetem para o início do período da Quaresma.

A própria designação de entrudo, ainda muito utilizada, vem do latim ‘introitus’ e apresenta o significado de dar entrada, começo, em relação a um novo tempo litúrgico.

Tal como sucede um pouco por todo o mundo, os vareiros começam na quarta-feira a viver o tempo da Quaresma, com a celebração das Cinzas, que são impostas sobre a sua cabeça durante a Missa.

Este é um período de 40 dias, exceptuando os domingos, marcado por apelos ao jejum, partilha e penitência, que serve de preparação para a Páscoa, a principal festa do calendário cristão.

Ainda hoje há que leve a sério a disciplina tradicional da Igreja que obriga à abstenção de carne, particularmente nas sextas-feiras da Quaresma, mas pode ser substituída pela privação de outros alimentos e bebidas, com um carácter penitencial.

Dados a manifestações de rua, os ovarenses, pelo menos desde o século XVII que organizam grandes procissões, em que toda a população se integrava vivendo colectivamente os passos da vida, paixão, morte e ressurreição de Jesus Cristo. As procissões quaresmais de Ovar têm início já neste domingo, dia 08 de março, com a Procissão dos Terceiros (Cinzas). Trata-se de uma tradição religiosa secular que remonta ao século XVII e que é composta por cinco Procissões – Terceiros, Passos, Ecce-Homo, Via-sacra e Enterro do Senhor.

Organizadas pela Paróquia de Ovar, Ordem Terceira de S. Francisco e Irmandade dos Passos, as Procissões Quaresmais contam com o apoio da Câmara Municipal de Ovar, ao abrigo do Regulamento de Apoio ao Associativismo do Concelho de Ovar – Apoio a Actividades Pontuais, com uma comparticipação financeira de 100% do orçamento apresentando, tratando-se de caso único nos apoios culturais, atendendo ao seu assinalável carácter identitário e de promoção e valorização do património cultural, turístico e religioso.

Através do mesmo Regulamento, mas no que concerne ao Apoio ao Investimento, é possível as entidades organizadoras submeterem candidaturas para apoio à conservação, restauro e/ou aquisição de bens diversos que contribuam para a melhoria e dignificação das procissões. A autarquia apoia ainda a divulgação do evento, sendo concebidos e executados os materiais de divulgação (cartaz, flyers e outdoor).

Procissão dos Terceiros / Cinzas / 08 março |15h30

A procissão das Cinzas, mais conhecida por procissão dos Terceiros,com possível origem em 1663, teve várias configurações ao longo dos séculos. Em 1672, era constituída por vinte e quatro andores, individualmente dirigidos por um elemento da Ordem Terceira e acompanhados por anjos e tochas. Em 1868, era formada por 10 andores.

Actualmente, saem à rua 14 andores as imagens dos Santos Tutelados da Ordem Terceira de São Francisco: Bem Casados, Santa Margarida de Cortona, Santo Ivo, Santo António de Lisboa, Santa Isabel, Santa Clara de Assis, São Roque, São Luís Rei de França, Santa Rosa de Viterbo, Andor da Ordem, São Francisco lançado às silvas, São Francisco abraçado a Cristo, Santa Isabel da Hungria e Imaculada Conceição.

Procissão dos Passos / Encontro / 22 março | 15h30

A Irmandade dos Passos de Nosso Senhor Jesus Cristo terá realizado esta procissão desde a sua fundação, de uma forma quase ininterrupta. Seguindo o percurso das capelas dedicadas à Paixão de Cristo, as imagens de Nossa Senhora das Dores e do Senhor dos Passos, provenientes de sentidos opostos, reúnem-se no Passo do Encontro, percorrendo juntas, depois do sermão, o restante trajeto. Esta é, talvez, a procissão mais marcante pelo seu significado e pela envolvência que as Capelas dos Passos proporcionam.

Procissão do Ecce Homo/Terro-Terro / 09 abril | 21h30

“Ecce Homo”. Segundo o Evangelho, foram estas as palavras pronunciadas pelo governador romano Pôncio Pilatos quando apresentou Jesus de Nazaré (flagelado, atado e com a coroa de espinhos) perante a multidão hostil, e à qual submeteu o destino final do réu.

Na iconografia cristã costuma chamar-se Ecce Homo ou Senhor da Cana Verde (vulgarmente com ela na mão a servir-lhe de ceptro) às figurações de Jesus Cristo apresentado em sofrimento.

Assim, a Procissão de Quinta-Feira Santa, com origem no séc. XVII, aparece com diversas designações: do Ecce Homo, do Terro-Terro, da Cana Verde, dos Penitentes (permitiu a confissão pública de muitos penitentes, de cabeça tapada), dos Farricocos ou dos Fogaréus (homens vestidos de preto com as matracas e fogaréus nas mãos).

Actualmente, no silêncio da noite, interrompido, pontualmente, pelo som das matracas, três imagens do séc. XVII – Crucificação, Senhor da Cana Verde e Cristo Atado à Coluna – percorrem a cidade de Ovar, parando nas esplendorosas Capelas dos Passos, até chegarem ao Calvário e retomarem à Igreja Matriz, de onde partiram.

Procissão da Via Sacra / 10 abril | 07h30

A Via-Sacra é o mais apreciado exercício de piedade em louvor da Paixão de Jesus Cristo, pelo que se pratica sobretudo no tempo da Quaresma e na Sexta-Feira Santa, dia da Paixão, Morte e Sepultura de Jesus. Consiste em acompanhar espiritualmente o trajecto de Jesus desde a agonia, no Jardim das Oliveiras, com momentos de meditação e oração em várias estações.

Profundamente ligada, desde a sua origem, aos Franciscanos, em Ovar esta Procissão é organizada pela Ordem Franciscana Secular e percorre as catorze cruzes presentes nas principais ruas do centro da Cidade na manhã de Sexta-Feira Santa.

Enterro do Senhor / 10 abril | 20h30

A Procissão do Enterro do Senhor é uma procissão nocturna, porventura a mais comovente. Em Ovar é anterior à construção das Capelas dos Passos. Partindo do Calvário, a Procissão faz o percurso da Paixão de Cristo com dois andores – o esquife com Cristo Morto e Nossa Senhora da Soledade – regressando ao mesmo local para o Sermão final.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta