Covid-19

Profissionais de saúde do Hospital começaram a receber segunda dose da vacina  

Os primeiros profissionais de saúde de contexto prioritário do Hospital Dr. Francisco Zagalo, de Ovar (HFZ-Ovar) que foram vacinados contra a Covid-19 no final do ano começaram esta semana a receber a segunda dose do fármaco da BioNTech/Pfizer

Neste momento de grande preocupação, em que muito se espera de nós para darmos resposta a esta fase de enorme aperto coletivo, mantenhamos a serenidade e a confiança. O processo de vacinação é um importante passo nesta luta contra a pandemia para que possamos ter uma imunidade de grupo sólida e retomarmos, finalmente, a normalidade que há muito desejamos”, afirma o presidente do Conselho Diretivo do HFZ-Ovar, Luís Miguel Ferreira. 

Estamos a viver um momento de enorme dificuldade e é fundamental que as pessoas cumpram os recomendações e orientações das entidades da saúde, porque nada ainda está resolvido. O impacto da vacina ainda vai demorar a manifestar-se e, portanto, sendo este o momento para aliviarmos a pressão dos hospitais, a colaboração das pessoas através do cumprimento das regras é fundamental”, rematou.

A campanha de vacinação no Hospital Dr. Francisco Zagalo – Ovar arrancou no passado dia 29 de dezembro, abrangendo nesta fase profissionais de saúde. 

Ana Cristina Ferreira – a enfermeira que atendeu em março de 2020 o primeiro doente infetado com o novo coronavírus – foi a primeira a receber a vacina pelas mãos de Mariana Pinto Fragateiro, a enfermeira diretora do HFZ-Ovar. 

As primeiras vacinas chegaram a Ovar no dia 28 de dezembro, de acordo com o plano de vacinação contra a Covid-19 em Portugal que já contemplou, igualmente, os utentes e profissionais da Unidade de Convalescença

Após concretização desta primeira fase do plano, até final de março, segue-se um segundo momento que inclui pessoas de idade igual ou superior a 65 anos e pessoas entre os 50 e os 64 anos, inclusive, com pelo menos uma das seguintes patologias: diabetes, neoplasia maligna ativa, doença renal crónica, insuficiência hepática, hipertensão arterial, obesidade e outras doenças com menor prevalência que poderão ser definidas posteriormente, em função do conhecimento científico. 

Na terceira fase, será vacinada a restante população, em data a determinar.  As pessoas a vacinar ao longo do ano serão contactadas pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS). 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta