Cultura

Revolut cresce na Espanha e em Portugal com facilidades de um banco digital

O uso de bancos digitais está a crescer em toda a Europa, inclusive cá em Portugal. Esse é o caso do Revolut, que possui escritório no Porto e tem buscado formas de se consolidar com a população. Os resultados positivos estão a surgir, inclusive na Espanha, onde possui mais de um milhão de clientes. Isso mostra que o banco digital britânico está a crescer de forma rápida, e motivos não faltam para isso acontecer durante os meses de 2022. Quase todos os serviços digitais conseguiram chamar a atenção nos últimos três anos.

 

As restrições impostas em todo o continente europeu nos últimos anos consolidou os serviços digitais. Empresas como a Amazon, a PayPal e até mesmo a Google conseguiram crescer neste período de crise. Porém, se olharmos para Espanha e Portugal apenas, são os bancos digitais que estão a ganhar espaço. No início de junho, a Revolut declarou novos investimentos em território espanhol, enquanto superou a marca de 1 milhão de clientes. Um número importante para mostrar a força desse serviço digital.

 

Isso fez com que a empresa britânica se consolidasse como uma das fintechs que mais cresce nessas duas regiões. O escritório no Porto, por exemplo, tem feito contratações quase todos os meses. A ideia é crescer ainda mais e superar todas as expectativas criadas com os clientes portugueses e espanhóis. Afinal, é um público acostumado com serviços bancários físicos, e agora está a descobrir as facilidades que um banco digital pode oferecer.

 

Por exemplo, os vários serviços disponibilizados online possuem opções diferentes de pagamento. É o caso dos casinos online, que permitem o depósito para fazer as apostas com cartões de créditos, com boletos bancários, com transferência e até mesmo com o uso de criptomoedas. Um banco digital pode fazer tudo isso com uma aplicação no smartphone, e facilita assim a vida do cliente e do fã de apostas. Depositar dinheiro real para jogar roleta, baccarat e até mesmo slots machines está mais fácil e acessível.

Banco preferido

 

Na época em que surgiram os primeiros bancos digitais, a ideia era oferecer um serviço de auxílio aos portugueses. Ou seja, não era para ser uma conta de usar todos os dias, mas sim uma espécie de backup. Isso mudou com o tempo, e a Revolut começou a se transformar na primeira opção de muitas pessoas. Segundo informações da própria instituição, muitas pessoas estão a realizar compras, fazer pagamentos e até transferência com a conta digital.

 

Isso ligou um alerta nos bancos tradicionais, que começaram a focar no desenvolvimento da própria app. Apesar de não terem as mesmas características de um banco digital, algumas empresas oferecem mais serviços online para chamar a atenção dos clientes. O banco Millenium e a Caixa Geral de Depósitos estão a fazer isso em Portugal. Uma iniciativa interessante, que pode gerar disputa com os bancos digitais e oferecer condições ainda mais superiores aos portugueses.

 

A integração do digital aos sistemas financeiros não é nada que esteja a acontecer apenas em Portugal e Espanha, mas em quase todo o mundo. As criptomoedas, por exemplo, começaram a ser usadas em diversos estabelecimentos, inclusive no retalho. Em alguns países, como no caso de El Salvador, a Bitcoin é até considerada uma moeda oficial. Ou seja, o mundo eletrónico faz parte da rotina das pessoas, sobretudo para eliminar algumas burocracias.

Mais mudanças no futuro

 

O objetivo da Revolut não é apenas facilitar a vida das pessoas, mas também mudar o sistema financeiro. A ideia é fazer com que vários serviços sejam mais acessíveis, inclusive em países com muitos bancos disponíveis. Portugal é um bom exemplo, e não vem apenas da empresa britânica. O ActivoBank tem conseguido crescer em todo o país, inclusive entre os imigrantes. A ideia de oferecer um banco sem taxas com uma agência no smartphone foi um sucesso cá.

 

Isso deve incentivar para que mais empresas prestem serviços assim, como no caso da N26 e do Wise. Os bancos digitais representam a facilidade bancária, e os consumidores espanhóis estão a valorizar isso. São mais de um milhão de clientes assim, com uma perspetiva deste número continuar a crescer nos próximos anos. Assim, os bancos tradicionais vão ter que mudar completamente.

 

Esse crescimento do Revolut na Espanha e também em Portugal é um simbolismo disso que está a acontecer. O público aprendeu como cuidar melhor do dinheiro, e não com agências, mas com apps eficientes no smartphone.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo