Desporto

Rugby: Esmorizense Vasco Baptista reforça equipa da Nova Zelândia

Vasco Baptista, internacional Sub-20 português formado no CDUP, viajou este mês para a Nova Zelândia para jogar no Belfast Rugby Football Club, equipa de Christchurch, a maior cidade da Ilha Sul do país dos All Blacks. Em conversa com a Federação Portuguesa de Rugby, o atleta esmorizense destaca a excelente recepção que teve no clube e revela o que pretende alcançar com esta experiência de seis meses.

Com 20 anos, começou a jogar no CDUP nos Sub-14, representou todos os escalões das Selecções Nacionais dos Sub-16 aos Sub-20 e começou na semana passada a cumprir um sonho: jogar na Nova Zelândia. Vasco Baptista, que se faz acompanhar de Tomás Ferronha na aventuira, está desde 14 de Fevereiro em Christchurch para jogar pelo Belfast Rugby Football Club e após uma semana em território All Black garante que o início desta aventura está a superar as melhores expectativas.

Vasco Baptista, que no ano passado chegou a jogar por Portugal nas etapas do Dubai e da África do Sul do Circuito Mundial de Sevens, destaca o papel do actual treinador adjunto de Martim Aguiar: “A oportunidade de ir jogar para a Nova Zelândia surgiu pela vontade de evoluir no rugby e contamos com a ajuda do João Pedro Varela, que me meteu em contacto com um dos coordenadores da academia dos Crusaders, ajudando-nos a chegar até ao Belfast Rugby Football Club.”

Surpreendidos pela “hospitalidade” e “simpatia” com que foram recebidos em Christchurch, os dois atletas destacam o encontro com Bill Bush, antigo jogador do Belfast Rugby Football Club que vestiu a camisola dos All Blacks no final da década de 70.

Quanto ao futuro, Vasco Baptista considera que tem “um caminho a seguir”, que passa por tornar-se profissional: “O meu sonho desde pequeno sempre foi tornar-me profissional desta modalidade e desde que me lembro de jogar rugby, sempre me diverti ao fazê-lo. Não sei que melhor proposta poderia ter senão tornar-me profissional, mas sei que para lá chegar ainda vou ter de escorrer muito suor e serão necessárias muitas horas de trabalho”.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo