Life&Tek

Saiba como poupar eficazmente no dia-a-dia

O ano de 2022 tem sido palco de sinais preocupantes para as famílias portuguesas, muito por causa da desaceleração da economia, a crise energética e a inflação nos bens de consumo básico. Estes fatores motivam os consumidores para novas práticas de poupança que visam minimizar um gasto mensal superior para adquirir os mesmos bens ou pagar os mesmos serviços.

Há muita coisa que pode ser feita para otimizar o processo de poupança e a seguir estão algumas dicas.

Reparar em vez de comprar

Vivemos numa era de consumismo e tornou-se hábito comum substituir em vez de reparar. A verdade é que muitas vezes é possível reparar um determinado objeto com produtos simples e duráveis, sem grande esforço, rapidamente e a baixo custo.

Hoje já existem diversos tipos de produtos no mercado, tais como selantes e colas que tornam os materiais mais resistentes à passagem do tempo. Estamos a falar de objetos que se partem, como brinquedos, peças em vidro, móveis de madeira, óculos ou bijuteria, e que podem ser facilmente colados para terem uma segunda vida.

Tendo as ferramentas certas à mão é possível operar verdadeiros milagres que passam despercebidos até aos olhos mais curiosos. O planeta agradece pela reutilização e a sua carteira também.

Reduzir gastos com energia

Apagar a luz quando sai de uma divisão, usar luzes LED ou comprar eletrodomésticos eficientes – essas são formas de poupar energia que se refletem nos seus gastos mensais.

Outro opção é tomar banhos mais curtos. Enquanto espera que a água fique quente, pode também armazenar essa água que por norma é desperdiçada para posteriormente fazer limpezas em casa.

Saber o consumo energético é importante para ter uma ideia do impacto destas ações nas suas faturas de água, luz e gás. Ao mudar de hábitos verá uma grande diferença de consumo energético.

Manter um registo de gastos

Por vezes, saber ao certo o que está a gastar é o suficiente para mudar comportamentos de consumo. Sabe aquelas vezes em que pensa “talvez esteja a gastar demasiado dinheiro a comer fora” ou “tenho de parar de gastar dinheiro em roupa”? Como não quantifica esses gastos, torna-se difícil que altere as suas opções de consumo.

Saber quanto se gastou e se definir um tecto máximo para uma determinada categoria, como entretenimento ou restauração, será muito mais fácil reduzir custos de forma estratégica. Em certos casos pode substituir os seus consumos apenas por opções mais baratas.

Eliminar despesas desnecessárias

As parcelas que mais pesam nos custos desnecessários são normalmente pequenas e emocionais, como as compras de Natal.

Curiosamente, os portugueses até parecem empenhados em reduzir os gastos na época natalícia. O que acontece é que estes gastos de montantes baixos são mais frequentes, porque o consumidor encara estas compras de forma leve e por vezes até se esquece dessa transação. O mesmo acontece com tomar o pequeno-almoço fora de casa por 3 euros. Se o fizer uma vez por outra, é aceitável. Contudo, se o fizer todos os dias, estará a pagar 15 euros ao final de 5 dias, 90 euros no final do mês e 1080 euros no final do ano. 

A poupança é um conceito ainda estranho para muitas pessoas, principalmente para aquelas que tiveram a felicidade de crescer com boas condições financeiras e sem necessidade de fazer sacrifícios ou ter alguma disciplina orçamental. Ainda que esta prática ganhe outros contornos em períodos difíceis, poupar é sempre importante para que se possa investir no futuro. Muitas destas práticas tornam-se uma rotina saudável e, após algum tempo, deixam de ser um esforço para serem apenas a normalidade.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo