Covid-19

Tovartex/Falke vai despedir 54 trabalhadoras

A Tovartex/Falke ptetende, até ao final do ano 2013, proceder ao despedimento de 54 trabalhadoras através de um despedimento colectivo.

A decisão da administração desta multinacional de proceder a esta sucessão de acordos e ao despedimento colectivo assenta na argumentação de que “no actual quadro económico se depara com um forte aumento dos custos de produção em Portugal e como consequência desta situação nada mais pode fazer”, refere nota do PCP de Ovar.

A multinacional considera mesmo que não existe outra alternativa que não passe pela deslocalização de parte dos sectores da sua produção para outras empresas do grupo Falke, instaladas na Sérvia e na Eslováquia, onde os custos de produção se cifram abaixo dos 60% no primeiro país e 30% no segundo.

As trabalhadoras abrangidas pelo despedimento colectivo, por acordo das partes, anteciparam a cessação da prestação de trabalho, mantendo o vínculo à empresa durante o período de aviso prévio previsto por lei, com direito à respectiva retribuição.

A Tovartex/Falke, empresa multinacional alemã do sector têxtil instalada em Ovar há cerca de 30 anos, assenta a sua actividade produtiva na confecção de meias para homem, senhora e criança.

Esta empresa, que já empregou cerca de 700 trabalhadoras, de forma progressiva tem vindo nestes anos mais recentes a extinguir centenas de postos de trabalho; actualmente conta com 300.

Dados mais recentes, demonstram que a empresa se libertou de mais de 116 trabalhadoras pela via do mútuo acordo durante o ano de 2012.

A deputada do PCP, Paula Baptita questionou o Ministerio da Economia se tem  conhecimento desta situação e que apoios, ao longo dos anos, esta empresa beneficiou do estado, da UE e de outras entidades.

“Que medidas está o governo disposto a tomar para garantir que processos desta natureza não se concretizem e sejam salvaguardados os actuais postos de trabalho?”

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta