Opinião

Até já, Carnaval!

Não se pode falar em finais, quando uma cidade se move, como folhas sobre o rio, na corrente de uma festa, que se quer divertida, participante e feliz. Muito feliz!
A chuva bateu nos corpos, escorreu nas roupas, deslizou nas ruas, pintou os céus, mas jamais nos roubou, a mim, aos ovarenses e a todos os visitantes, o sorriso de quem sabe que estes dias são diferentes, são de diluição de todas as exigências das vidas quotidianas.
O trabalho de todos os grupos, de carnavalesco, passerelle e escolas de samba, fez deste carnaval uma epopeia ao que dele se pretende. Sem excepção, existiu um elevar de fasquia, num ano de experiência, que a todos nos engrandece. Não se espera que todos sejam perfeitos ou os melhores, espera-se que todos transpareçam o trabalho e felicidade destes meses de êxtase. E isso, no meu entender, debaixo de dilúvios, foi conseguido. Muito conseguido.
Gostaria de dar uma palavra, em primeiro lugar, aos últimos. Não é justo, num carnaval deste nível, que existam últimos. Todos somos primeiros à nossa medida. O grupo a que pertenço não venceu, ao contrário de outros anos, mas eu, e cada um dos outros elementos do grupo, saiu mais uma vez vencedor. E isso é o carnaval, no grupo a que pertenço e em todos os outros. Assim, quero dar os meus  parabéns a todos, mesmo todos, de carnavalesco, passerelle e escolas de samba. Fomos grandes, muito grandes! Sofremos o frio nas costas, mas só nos apercebemos quando terminou o desfile que tão feliz nos faz. E isso é a maior vitória que temos. Porém, a qualidade também deve ser reconhecida e, assim, deixo os meus parabéns aos vencedores: Xaxas, Palhacinhas e Charanguinha.
Depois, é preciso relembrar que a alegria destes dias não está somente nos desfiles, eles são apenas o púlpito de um discurso que preparamos durante meses. No dia seguinte ao Carnaval, dando um jeito a detalhes na sede, olhava as pessoas que foram durante estes meses, e são durante o ano, uma família. Amigos daqueles que levamos para a vida. No meu quinto carnaval a desfilar, percebo que entrei num grupo onde era amigo de três ou quatro pessoas e conhecia outras tantas, mas, agora, tenho ali uma espinha que me suporta de pé. São pessoas especiais, que só o carnaval me mostrou e isso é uma mensagem muitas vezes esquecidas.
O carnaval não é só folia, copos, trabalhos de esponja e ferro, o carnaval também é uma escola. Entre quarenta pessoas, cinquenta ou sessenta, é impossível não conhecermos escolas de vida diferentes, visões díspares, e isso é tão grande para as  pessoas que  podemos ser. Quem pensa que no carnaval se encontram um grupo de pessoas para beber uns copos e fazer uns fatos, deveria sair a passear por cada uma das sedes e compreender o tanto que se cresce lá dentro. No dia seguinte ao carnaval, na minha sede, a olhar amigos, senti saudades. Eles estavam ali, vou estar com muitos deles, ou a maioria, durante o ano, mas quando gostamos, quando vivemos dias e noites com esta intensidade, não podemos fugir às saudades. A eles, imaginando a transposição que cada um pode fazer aos seus grupos, deixo o meu obrigado. Errarei toda a minha vida, terei sempre coisas a aprender e outras a ensinar, encontrarei sempre pessoas com quem mais me identificar, mas, no fim, terei sempre uma família no carnaval. E não só no meu grupo, a cumplicidade do desejo de um bom desfile, sincero, nos encontros ao começo do cortejo, diz bem do que é o nosso carnaval. Não somos um grupo ou outro, somos CARNAVAL DE OVAR!
Para o final, deixo uma palavra à Câmara Municipal de Ovar. Na pessoa do Alexandre Rosas, esteve sempre presente, ouvindo e aceitando reclamações, assim como elogios, sem nunca esconder o sorriso e a compreensão. Uma outra palavra a toda a estrutura, na pessoa do presidente Salvador Malheiro, que enquanto nos divertíamos, não deslembrava uma das maiores preocupações da região e disponibilizava meios para obras de protecção na nossa costa. A festa não apaga a desgraça e a nossa câmara, onde pouco me importa a cor partidária, estes dias mostrou que o sabe. Não me interessam partidos, interessam-me pessoas e causas. Por isso, em coerência com a minha consciência, não gosto apenas de criticar, elogiar o justo é tão melhor. Parabéns, foram incansáveis e mostraram que a alegria não apagou as prioridades.
Um abraço a todos, aos ovarenses, à câmara municipal e a todos os visitantes, que connosco foram cúmplices em mais este grande Carnaval! Daqui a nada está aí outro. Até já!
Ricardo Alves Lopes (Ral)
http://tempestadideias.wordpress.com
ricardoalopes.lopes@gmail.com     

 

A opinião dos nossos comentadores é da sua exclusiva responsabilidade e não vincula a linha editorial do OvarNews

Artigos relacionados

Deixe uma resposta