Saúde

Desafiar a agir contra o cancro

No dia 2 de Fevereiro, voluntários da Liga Portuguesa Contra o Cancro vão estar em todos os hospitais distritais da Região Centro a convidar à acção contra o cancro. A iniciativa está integrada na campanha “Nós podemos. Eu posso.”, que assinala o Dia Mundial do Cancro.

Por toda a Região Centro, a assinalar a data, através da distribuição de material informativo de educação para a saúde, vão estar os elementos dos 78 grupos de voluntariado comunitário do Núcleo Regional do Centro da LPCC , as voluntárias do Movimento Vencer e Viver (representado em seis localidades), os elementos das unidades móveis de rastreio de cancro da mama e ainda os professores do projecto “Professores Contra o Cancro”

O Dia Mundial do Cancro, assinalado a 4 de Fevereiro, é uma iniciativa da União Internacional de Controlo do Cancro que pretende ter a dimensão de um evento global que una a população em torno da luta contra o cancro.

Como é habitual, o Núcleo Regional do Centro da Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC.NRC) associa-se à comemoração desta data através de acções de sensibilização e de educação para a saúde. “Nós podemos. Eu posso.” é o tema da campanha iniciada em 2016 e que termina este ano, na qual, de uma maneira positiva e inspiradora, se estimula as pessoas a agirem de forma a que suas atitudes tenham um impacto real.

Nos átrios principais de todos os hospitais distritais da Região Centro, os voluntários da LPCC vão apelar ao envolvimento de doentes e acompanhantes e convidá-los a reflectir e a agir. O resultado é afixado num placard onde as várias mensagens são acrescentadas em torno do slogan “Nós podemos. Eu posso.”

A esta actividade junta-se o reforço de informação disponibilizada sobre cancro e o próprio LPCC.NRC, com o objectivo de consciencializar «o que cada um de nós a título individual e todos em conjunto, podemos fazer para a diminuição do impacto das doenças oncológicas na nossa sociedade».

Cancro – dados actuais
A epidemia mundial do cancro é gigantesca e deve aumentar. Actualmente, 8,8 milhões de pessoas morrem de cancro em todo o mundo a cada ano, mais do que devido a HIV/AIDS, malária e tuberculose juntas. Desses mais de 8 milhões, 4 milhões de pessoas morrem prematuramente (entre os 30 e 69 anos).

Acções urgentes devem ser realizadas para sensibilizar sobre a doença e desenvolver estratégias práticas para lidar com o aumento dos casos de cancro. As disparidades entre as pessoas de diferentes ambientes estão a crescer, especialmente no que se refere ao acesso à prevenção, tratamentos e cuidados paliativos. Hoje mais do que nunca há uma necessidade de compromisso global para ajudar a estimular mudanças nas políticas e encorajar a implementação de planos nacionais abrangentes de controle do cancro.

Presença em todos os hospitais da Região Centro
Na Região Centro, a campanha é concretizada com a colaboração das voluntárias do Movimento Vencer e Viver (representado em seis localidades) que vão estar presentes em diversos hospitais (CHUC; Hospital Amato Lusitano, Castelo Branco; Unidade Local de Saúde da Guarda; Centro Hospitalar Cova da Beira, Covilhã; Hospital Santo André, Leiria, e Hospital São Teotónio, Viseu) a desafiar com o “Nós podemos. Eu posso.”

Artigos relacionados

Deixe uma resposta