LocalSlider

Modernização Ovar-Espinho fica para último

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, dirigiu-se ontem ao presidente da Câmara de Ovar, Salvador Malheiro, que ainda não viu a sua parte da linha do norte renovada, o troço Ovar-Espinho, para lhe garantir que o “maior compromisso” que lhe podia trazer foi o projecto lançado ontem, em Espinho. Recorde-se que o autarca ovarense se havia manifestado “profundamente desapontado e revoltado pelo constante adiamento, por parte das Infraestruturas de Portugal, das obras na Linha do Norte do concelho de Ovar”.

“Temos de intervir por troços porque senão a falta de qualidade e o tempo de espera para os utilizadores seria insuportável. Estamos a cumprir com os calendários com os quais nos comprometemos. Havemos de lançar no segundo semestre de 2019 [a obra no] troço Ovar/Espinho para começar desejavelmente em 2020”, afiançou o Ministro.

Naquela que considera a “mais complexa intervenção na Linha Norte [que liga Lisboa ao Porto]”, Carlos Fernandes, vice-presidente da Infraestruturas de Portugal, explicou que a renovação das linhas entre Ovar e Vila Nova de Gaia vai decorrer com os comboios sempre a circular, dividida em quatro fases, num investimento global de cerca de 160 milhões de euros, cofinanciado por fundos comunitários, no âmbito do projecto COMPETE 2020.

A sinalização electrónica e telecomunicações entre Espinho e Gaia e a renovação integral da via Valadares–Gaia já estão em curso, enquanto a modernização Espinho-Gaia foi hoje apresentada, ficando para último a modernização Ovar-Espinho, a mais cara das quatro fases, avaliada em 52 milhões de euros, cujo lançamento está previsto para o segundo semestre de 2019.

O ministro Pedro Marques salientou que “a Linha do Norte é a coluna vertebral do sistema ferroviário” e “é uma das grandes prioridades do Ferrovia 2020”, programa de investimentos na requalificação da Rede Ferroviária Nacional.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta