Opinião

Carta aberta ao Padre Tiago

Só faz a Comunhão quem quer

Esta frase dita numa mesa de café não teria nada de anormal. No entanto quando é dita dentro de um templo religioso e proferida por um Padre o caso muda de figura.

Os nossos filhos, alunos do terceiro ano da catequese no Furadouro vão no próximo dia 25 fazer a primeira Comunhão na Capela do Carregal. No entanto, tendo em conta a experiência vivida no mesmo local, quando foi feita a festa do Pai Nosso, em que devido ao reduzido espaço daquela capela e ao elevado número de familiares que se deslocaram à mesma para poderem assistir à cerimónia, não o puderam fazer, acabando por ficar do lado de fora, os Pais pediram ao Padre Tiago para que a Comunhão fosse realizada num espaço maior da Paróquia, já que felizmente dispõe de outros dois espaços (Furadouro e Torrão do Lameiro) onde a cerimónia poderia ser realizada com todas as condições.

Os pais das crianças do Furadouro propuseram mesmo a capela do Torrão do Lameiro, em detrimento da do Furadouro, para que se percebesse que o mais importante não era assegurar um lugar mais perto mas sim um local onde fosse possível realizar uma festa a que todos pudessem assistir, não sendo necessário ninguém ficar do lado de fora ou então na casa Mortuária a ver a cerimónia através de um ecrã, como foi proposto pelo Sr. Padre Tiago (!!!).

A esta proposta feita pelos pais das crianças do Furadouro, respondeu negativamente e de forma intransigente o Padre Tiago, com o argumento da necessidade de respeitar a rotatividade previamente combinada dos vários locais de celebração, e este ano, de acordo com essa mesma rotatividade, a 1ª comunhão seria na capela do Carregal, chegando mesmo a afirmar que se os pais não estivessem de acordo não eram obrigados a levar os filhos à celebração da 1ª comunhão pois “só faz a comunhão quem quer” (sic).

Ó senhor Padre Tiago, quanta intransigência, quanta falta de bom senso.

Perante uma afirmação dessas só nos apeteceu, na altura, propor aos nossos filhos que talvez fosse melhor não fazerem a 1ª comunhão, não pelas razões anteriormente invocadas, mas sobretudo pelo cinismo da frase, ainda por cima proferida por um representante de uma Igreja que se quer agregadora e tenta, ultimamente, tornar-se mais conciliadora, despegando-se de alguns dogmas e também de alguns tiques de autoritarismo.

Mas não. Mudamos de opinião. Os nossos filhos vão mesmo fazer a 1º Comunhão no próximo dia 25 na Capela do Carregal. Não foi o Sr. Padre que nos convenceu, foi outra pessoa, que passamos a explicar:

Senhor Padre Tiago, os nossos filhos só vão fazer a Comunhão porque a Ângela Liz, que é sua a catequista, pediu para que assim fosse. Por respeito a esta mulher que durante três anos foi o seu guia espiritual ensinando-lhes a palavra de Cristo e fazendo, sobretudo, com que eles gostassem de ir todos os sábados para a catequese, e sabemos todos quanto, nos dias de hoje, esta tarefa é difícil, só podendo ser bem-sucedida por quem se dedica de corpo a alma a esta causa.

Obrigado Ângela.

Para terminar gostaríamos de sugerir ao Senhor Padre Tiago que é urgente os pastores da Igreja chamarem as suas ovelhas e não as mandarem embora, sob pena da Igreja ficar sem ovelhas e, portanto também sem pastores.

Um grupo de Pais do Furadouro.

 

Nota: Os textos aqui publicados não vinculam a linha editorial do OvarNews.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta