Política

BE: “É preciso travar lei do eucalipto de Assunção Cristas”

A coordenadora do Bloco de Esquerda (BE) insistiu, esta sexta-feira, em Ovar, na necessidade de travar o crescimento dos eucaliptos, pedindo ao Governo para suspender o concurso de nove milhões de euros, em fundos comunitários, para aquela espécie.

Catarina Martins reagiu assim às declarações do ministro da Agricultura, Capoulas Santos, que esta sexta-feira recusou suspender o referido concurso, assegurando que o objectivo é ordenar a plantação desta espécie e não permitir mais área plantada.

“O eucalipto é uma espécie invasora que arde com muita facilidade, que projecta as chamas a muitos quilómetros e é, por isso, um perigo a quantidade de eucalipto que temos no país. Estamos rodeados de combustível”, adiantou.

Catarina Martins falava em Ovar, durante o jantar de apresentação do candidato do partido à presidência do município, Ismael Varanda, mas também de Paulo Silva à União das Freguesias, João Santos à junta de Esmoriz, e ainda de Eduardo Ferreira à Assembleia Municipal de Ovar.

O candidato à Câmara, Ismael Varanda, criticou a actual gestão autárquica de maioria PSD que, segundo ele, “desiludiu até a própria direita”, lembrando que “já fomos a cidade das flores, onde estão elas?”.

“O Bloco de Esquerda tem um plano para o desenvolvimento sustentável de Ovar”, destacando Ismael Varanda que “esse plano assenta em 4 vetores que têm o objetivo de gerar trabalho, emprego e riqueza, e que aproveita aquilo que são as nossas potencialidades”. Estas serão “a ria, o mar, a barrinha, a floresta e a terra, estas são as nossas riquezas naturais”.

Os quatro principais vetores da candidatura do BE passam por criar um “clouster” da água – sustentabilidade energética e alimentar – reabilitação – mobilidade. Entre estas linhas de acção incluiu a “modernização administrativa” e a “promoção da transparência”.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo