Política

Cantar dos Reis chega à Assembleia da República

A candidatura do Cantar dos Reis ao Inventário Nacional do Património Cultural e Imaterial é um processo que ganhou forma em 2014 pela mão da Câmara de Ovar, mas o Ministério da Cultura continua, seis anos depois, sem se pronunciar. Nos últimos dias, Carla Madureira, deputada do PSD eleita pelo distrito de Aveiro, interpelou a tutela sobre o tema, reclamando “uma resposta”.

No texto enviado ao Ministério, a parlamentar social-democrata lembra a “importância” do Cantar dos Reis, uma tradição “com origem em Ovar” que remonta a 1882.
A autarquia vareira lançou, em 2014, a ideia de candidatar o Cantar dos Reis em Ovar ao Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial e, dois anos depois, o processo foi submetido, com o apoio do Instituto de Etnomusicologia da Universidade de Aveiro, responsável pela realização da investigação científica que suporta a candidatura.

“Volvidos seis anos, ainda não houve resposta por parte do Ministério da Cultura”, critica Carla Madureira, questionando o Governo sobre “qual o motivo pelo qual ainda não existe uma decisão relativamente à candidatura submetida em 2016”.
O Cantar dos Reis em Ovar é uma prática performativa poético-musical realizada anualmente em vários locais do concelho por grupos especializados – as trupes – em espaços públicos e privados nos dias anteriores à festa dos Reis Magos (ou Epifania, celebrada a 6 de Janeiro). Embora partilhe características com outras práticas em Portugal e noutros países que ocorrem no mesmo contexto temporal – designadas genericamente por Cantar dos Reis ou Cantar as Janeiras -, em Ovar, esta prática sofreu, ao longo do tempo, um processo de codificação artística, social e performativa que a diferenciou.

Esta tradição presenta um recorte cultural próprio, único a nível nacional e internacional, com composições musicais e poéticas originais, sofisticadas, cuja “performance” exige solistas, um coro a várias vozes e acompanhamento instrumental, descreve ainda a deputada Carla Madureira no texto enviado recentemente ao Ministério da Cultura.

O Cantar dos Reis em Ovar é realizado ininterruptamente pelo menos desde 1882, envolvendo centenas de pessoas que participam nas Trupes Reiseiras, os agentes centrais que levam a cabo a prática em dezenas de locais do concelho entre os dias 2 e 6 de Janeiro de cada ano. O repertório original apresentado pelas trupes consiste em três peças musicais designadas por Mensagem, Saudação e Despedida.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao Topo